90 segundos para ter a vida que quer

Pergaminho, 16,60 euros. No mercado a 5 de agosto

A premissa base passa por dominar as emoções negativas de forma a alcançar confiança, resiliência e autenticidade, léxico que, por si só, promete domar a ansiedade em qualquer campo de batalha. A autora e psicóloga com mais de 30 anos de prática clínica, Joan I. Rosenberg, faz uso do apelido e, ao longo de 288 páginas, procura mostrar como a solução está no método Rosenberg Reset, cuja fórmula é aparentemente simples: uma escolha, oito sentimentos, 90 segundos. As três décadas de experiência levaram-na a determinar que existem oito emoções que são obstáculos à autoconfiança e ao bem-estar. Dito isto, no livro procura-se passar a seguinte mensagem: saber gerir as emoções intensas e não desejadas é um passo importante para construir resiliência emocional e, desenvolvida esta ferramenta, a “felicidade autêntica” fica mais facilmente alcançável — a investigação na área da neurologia indica que o tempo de vida biológico de uma destas emoções é de aproximadamente 90 segundos. Assim, a ideia é que leitor ganhe consciência das emoções, que as aceite e espere que passem.

Como superar as preocupações e lidar com o stress

Objetiva, 16 euros. Julho de 2021

O que nos faz levar uma vida de preocupações constantes e, muitas vezes, incapacitantes? A solução apresentada por Dale Carnegie (que viveu entre 1888 e 1955) implica treinar o cérebro a concentrar-se em sensações mais positivas — sejam elas harmoniza, paz ou amor —, empurrando e substituindo os pensamentos negativos por outros mais construtivos. O autor norte-americano que se tornou uma importante figura no campo da literatura de desenvolvimento pessoal e profissional, e que em vida vendeu milhares de exemplares, ainda tem uma palavra a dizer no combate à ansiedade e à preocupação crónica capaz de, no extremo, ao colapso físico e mental, incluindo doenças como a asma, as alergias, os problemas cardíacos ou a hipertensão.

Proteger o planeta

Bertrand Editora. 8,80 euros. Julho de 2021

A ansiedade não se mede aos palmos e não se fecha em causas. O título do livro pode destoar dos restantes que compõem a lista, mas há motivo para se encaixar entre as sugestões mais e menos recentes. Afinal, a intenção é ajudar as crianças a lidar com a ansiedade ambiental, numa altura em que as alterações climáticas invadem as notícias e as conversas quotidianas. Porque as imagens apocalípticas estão um pouco por toda a parte — com incêndios devastadores ou cheias imponentes na crista da temporada —, a autora Louise Spilsbury faz uso de uma linguagem simples e Hanane Kai de ilustrações delicadas que ajudam a explicar o que é o aquecimento global. O livro apresenta ainda sugestões que podem ser seguidas pelos mais novos mas também pelos adultos para cuidar do planeta, da reciclagem à reutilização de objetos.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Gosto de ti – 100 sessões curtas de terapia

Pergaminho, 15,50 euros. Junho de 2021

Não é um livro que aborde diretamente as questões da ansiedade, mas o contributo pode ser encarado na forma de mensagens subliminares. O livro junta os conselhos do psicoterapeuta Antti Ervasti com as ilustrações do já premiado Matti Pikkujamsa e baseia-se no projeto CupOfTherapy, que procura divulgar conceitos básicos de saúde mental  — as questões de bem-estar e saúde mental são abordadas através de personagens animais apelativas, sendo que cada ilustração dá destaque, com recurso a pequenos textos, aos problemas do quotidiano. A ideia é salientar a importância da comunicação e promover a autodescoberta. As lições curtas refletem, no seu todo, um trabalho maior de promoção de bem-estar emocional.

Cura-te

Albatroz, 17,70 euros. Junho de 2021

A luta da autora contra a ansiedade serve de mote ao livro que, publicado no final do primeiro trimestre de 2021, chegou rapidamente ao topo da lista de best-sellers do The New York Times. Nicole LePera combina neste livro diferentes áreas — da psicanálise à neurociência, do mindfulness às práticas espirituais — em resposta ao que diz serem as limitações da psicoterapia tradicional e numa aposta tripla: cuidar da mente, do corpo e da alma, com viagem assegurada aos traumas do passado. É também a responsável pela conta de Instagram The Holistic Psychologist, seguida por mais de quatro milhões de pessoas. À edição internacional da Forbes, a autora já antes comentou como detetou falhas no sistema tradicional de educação em saúde mental, com o maior problema a ser a dissociação entre mente e corpo: “É focado no modelo de diagnóstico, o que significa rotular os sintomas como distúrbios. Gostaria de ter aprendido mais sobre trauma, epigenética e a importância da perceção consciente. Essas são coisas que atualmente ensino todos os dias, porque conduzem a uma cura imensa”, disse em janeiro de 2020, antes da pandemia paralisar o mundo.

Os segredos da sofrologia

Pergaminho, 16,60 euros. Maio de 2021

A sofrologia é apresentada como o novo mindfulness, apesar de desenvolvida na década de 1960 por um neuropsiquiatra. Consiste numa série de exercícios de respiração, visualização e movimento suave que procuram desenvolver a atenção plena e a consciência ativa. A ideia é estar em sintonia com o corpo, os sentimentos e o ambiente em redor, e as técnicas podem ser usadas praticamente em todo o lado. Florence Parot é quem assina este livro inspirado também nas filosofias orientais e nas técnicas clássicas de relaxamento que, tal como anuncia a capa, pretende fornecer ao leitor ferramentas simples para combater a insónia, a ansiedade e o stress. A terapeuta de sofrologia e também life coach encontrou no método a resposta para o burnout intenso que sentiu na pele com apenas 23 anos. Foi ela quem fundou a primeira escola em Inglaterra para formação de formadores nesta área, The Sophrology Academy.

The School of Life – Educação emocional

Minotauro, 17,90 euros. 2020

O livro que reúne 10 anos de investigação propõe uma viagem curta ao lado emocional do ser humano, considerando a sua evolução ao longo de várias épocas, sem deixar de lado o atual contexto de “epidemia de depressões e ansiedade”. A busca, por vezes desesperada, da felicidade é tema explorado, sendo que também aqui são dadas ferramentas para uma vida “mais preenchida e saudável”. A introdução fica a cargo de Alain de Botton, escritor e filósofo que fundou a organização The School of Life, com o objetivo de ajudar as pessoas não só a sobreviver como a prosperar no mundo moderno, sendo o instrumento mais importante o da inteligência emocional.

Vamos enfrentar a tua ansiedade

Hora de Ler, 18 euros. Novembro de 2020

Escrito pelo psicólogo Paulo José Costa — assistente de psicologia do serviço de pediatria do Centro Hospitalar de Leiria —, o livro é dirigido a crianças dos 6 aos 12 anos, mas com uma particularidade: a proposta é que a leitura seja sempre em conjunto com pais, professores ou outras figuras cuidadoras. Curto e preenchido pelas ilustrações de Bruno Gaspar (com 112 páginas), pretende ajudar as famílias na gestão dos medos e preocupações das crianças, que podem assim identificar as manifestações de ansiedade e aprender a dominá-las. O livro chegou ao mercado já o mundo lidava e combatia ativamente a pandemia de Covid-19, crise sanitária com potencial para aumentar a ansiedade infantil, e pode ser adquirido aqui.

Descomplicar a mente

Oficina do livro, 15,50 euros. Outubro de 2020

Duas psicólogas, Rute Agulhas e Alexandra Anciães, assinam um livro composto por vários exercícios práticos e áudios guiados, cujo objetivo é orientar o leitor por um caminho de auto-conhecimento, reflexão e também aprendizagem. Saber o que pensamos, como nos sentimos e o que fazemos, são perguntas que podem ajudar o leitor a lidar com situações adversas, a melhorar a auto-estima, a gerir o stress e a também vencer a ansiedade. São as promessas da dupla que opta pela prevenção e pelo desenvolvimento de competências, e que quer ajudar-nos ainda a reconhecer os sinais de alerta para situações problemáticas.

Como vencer a ansiedade, a depressão, a raiva e o pânico

4 Estações Editora, 17,95 euros. Março de 2020 (1º reimpressão em abril de 2021)

Seth Gillihan, psicólogo e professor assistente de Psicologia no Departamento de Psiquiatria da Universidade da Pensilvânia, nos EUA, pretende orientar os leitores através de práticas acessíveis passíveis de serem usadas na resolução de vários problemas de saúde mental. O livro tem por base a terapia cognitivo-comportamental (TCC), tida como das primeiras linhas de tratamento recomendadas para gerir a depressão ou a ansiedade. Identificar e romper padrões de pensamentos negativos, identificar e alterar crenças básicas, manter o mindfulness ou controlar a raiva excessiva são algumas das estratégias apresentadas.

Guia prático para vencer a ansiedade

Bertrand Editora,  16,60 euros. Fevereiro de 2020

A dupla de autores — o psiquiatra Diogo Telles Correia e o psicólogo José de Almeida Brites — considera fundamental falar de ansiedade nos dias de hoje, sobretudo quando se estima que 33,7% das pessoas (cerca de um terço da população global) sofram de ansiedade em alguma fase da vida (os dados são pré-pandemia, com o livro a chegar ao mercado em fevereiro de 2020). O guia prático pretende ser fácil de usar no dia-a-dia, com respostas às perguntas ditas mais frequentes, abordando temas como os pensamentos obsessivos, os ataques de pânico e a hipocondria. Toda a informação disponibilizada, bem como os exercícios, é baseada nas “melhores práticas clínicas e em técnicas terapêuticas comprovadas”.

Acalme-se, f*da-se!

Zero a Oito. 16,99 euros. Março de 2020

O livro destina-se àqueles que passam mais tempo a preocupar-se com os problemas do que a resolvê-los. A quase asneira na capa chama a atenção para um problema que a autora e editora freelancer norte-americana Sarah KKnight quer ajudar a resolver. Assim, reuniu um conjunto de técnicas e estratégias de gestão de ansiedade e de stress para resolver os problemas que são controláveis e, assim, dar um chuto no pânico. E sobre os problemas que não conseguimos controlar, como por exemplo uma crise global? “Aceitar a realidade é meio caminho andado para se acalmar. Pode ajudar a acalmar os medos e a ansiedade dos seus entes queridos, desde que ainda esteja a ser realista e honesto com eles. Não é muito útil fingir que o problema não existe, ou dizer que não é assim tão mau, nem insinuar que os seus sentimentos de ansiedade não são importantes. Será muito mais produtivo aceitar a realidade e fazer um plano inteligente para lidar com ela”, diz à editora Zero a Oito.