Os bombeiros da ilha italiana da Sicília combatem este sábado dezenas de incêndios florestais, com temperaturas que chegam a 45 graus Celsius, e na noite de sexta-feira foram retiradas por mar cerca de 150 pessoas.

Uma área de concessão de praia, com espreguiçadeiras e guarda-sóis, foi totalmente destruída pelo fogo e o aeroporto de Catania, na costa leste da Sicília, também foi temporariamente fechado para dar prioridade a helicópteros e aviões que combatem os incêndios florestais.

Cerca de 150 pessoas encurraladas em duas áreas costeiras na cidade de Catania foram retiradas na noite de sexta-feira por mar, onde foram recolhidas por botes de borracha e transferidas para embarcações da Guarda Costeira.

O governador da região da Sicília, Nello Musumeci, já solicitou apoio de Roma para combater os incêndios.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Aos jornalistas, Nello Musumeci disse que alguns incêndios parecem ter sido causados por incendiários, enquanto outros tiveram causas naturais, já que as temperaturas atingiram níveis recordes.

O governador da região da Sicília referiu ainda que os incendiários condenados enfrentam penas de prisão na Itália que, geralmente, são limitadas a seis meses ou um ano.

“Em vez disso, deveria ser uma sentença de prisão perpétua”, defendeu.

Os incêndios florestais também afetam as províncias sicilianas de Palermo, Siracusa e Messina.