Obrigado por ser nosso assinante. Pode ler este e todos os artigos do Observador em qualquer dispositivo.

Depois de empatar no Morumbi, o estádio do São Paulo, na primeira mão, o Palmeiras não deu qualquer hipótese ao grande rival no segundo jogo e carimbou a passagem às meias-finais da Taça Libertadores. A equipa de Abel Ferreira derrotou a de Hernán Crespo por 3-0, numa exibição autoritária onde agarrou o apuramento logo desde o primeiro golo, e fica agora à espera do vencedor da eliminatória entre River Plate e Atl. Mineiro para saber quem encontra no próximo passo rumo à reconquista do título.

Os golos do Palmeiras foram marcados por Raphael Veiga (10′), Dudu (67′) e Patrick de Paula (78′), num jogo onde o São Paulo acabou por terminar com menos um elemento devido à expulsão de Vitor Bueno já nos instantes finais. Abel atingiu assim um registo impressionante, chegando às 13 vitórias em 17 jogos na Libertadores e obtendo um registo totalmente vitorioso em eliminatórias, com seis apuramentos em seis possíveis. No final da partida, o treinador português mostrou-se orgulhoso dos jogadores, elogiou-os por “fazerem história” mas travou o entusiasmo, pedindo cautela e alguma gestão de expectativas.

“Ninguém quer ganhar mais do que nós. Não vamos ganhar sempre mas ninguém quer ganhar mais do que nós. Sei que a nossa torcida é exigente comigo e com os jogadores mas nós precisamos de também ser exigentes com eles. Tenho de fazer um desafio aos nossos adeptos. Hoje, gostei muito da decoração do estádio. Estava impecável! Um desafio aos torcedores: é muito melhor apoiar a nossa equipa a decorar o estádio do que a pintar muros a dizer mal dos jogadores”, atirou Abel Ferreira, referindo-se às críticas que a equipa sofreu nas últimas semanas, onde somou quatro jogos sem ganhar até à partida desta quarta-feira.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Tal como faz desde que chegou ao Brasil, o treinador português continua a insistir na ideia de que é necessário “mudar a mentalidade” dos adeptos brasileiros, tornando-os mais pacientes e mais fiéis na hora da derrota. “Eu não preciso de que me apoiem agora, quando ganhei 3-0 ao São Paulo. Foram estes mesmos jogadores que, aqui e agora, fizeram história. Agora, eles vão para casa felizes e contentes. Com muito orgulho, dedicamos esta vitória aos torcedores. Mas vocês podem fazer a diferença. Vocês, torcedores que estão em casa, nos momentos ruins. Aí eu quero ver se são torcedores do Palmeiras ou das vitórias”, continuou, deixando uma última mensagem à massa adepta do Verdão.

“Uma boa maioria dos torcedores está sempre connosco. Sinto isso quando vou a hotéis, quando estou em casa, sinto um carinho muito grande. Mas não podem ser 70% a apoiar e 30% de lado. Tem que ser 100%. Têm de estar 100% disponíveis para apoiar estes jogadores, esta equipa, ter fé e acreditar que podemos fazer mais e melhor”, terminou Abel.