Obrigado por ser nosso assinante. Beneficie de uma navegação sem publicidade intrusiva.

Há muito que a Porsche deixou de ser uma marca que maioritariamente vende modelos desportivos, tendo optado pelos SUV que, hoje, representam a larga maioria da sua produção. Entre os SUV, o Macan é o segundo modelo mais vendido, ultrapassado apenas por outro modelo grande e volumoso, o Cayenne. Mas a realidade é que o Macan, que recorre ao chassi do Audi Q5 e, em parte, às mesmas mecânicas, já chegou a liderar as vendas do construtor alemão, pelo que as informações avançadas pelo responsável pelos produtos da Porsche, Sebastian Staiger, ganham outro interesse.

Em entrevista à britânica Autocar, Staiger afirmou que “nenhuma decisão foi tomada”, relativamente à passagem do Macan de veículo com motores de combustão para 100% eléctrico. Mas “nós assumimos que 2024 será o ano”, acabou depois por especificar. Sebastian Staiger avançou ainda que “a legislação sobre as emissões desempenha um factor importante”, assumindo que a entrada em vigor do Euro 7, em 2025, pode apertar ainda mais a malha sobre o controlo das emissões nocivas e de CO2.

A Porsche, que introduziu recentemente ligeiros retoques no Macan, tanto no exterior como no habitáculo, para refrescar os seus argumentos comerciais, prepara-se para lançar em 2022 o primeiro Macan eléctrico, modelo que não recorre à plataforma do actual modelo com motores de combustão. Em vez disso, será concebido sobre a nova plataforma do Grupo Volkswagen, a Premium Platform Electric (PPE), desenvolvida pela Audi e pela Porsche, para maximizar as vantagens desta solução tecnológica.

De acordo com as informações avançadas por Staiger, cerca de dois anos depois de o Macan eléctrico chegar ao mercado, o Macan a gasolina será retirado. E esta estratégia até se compreende, uma vez que actualmente o Taycan, apesar da sua reduzida autonomia, já consegue ultrapassar em vendas todos os modelos “não SUV” da marca, ou seja, do Panamera ao 911, passando pelo 718 Boxster e 718 Cayman. E, mais importante do que isso, é expectável assumir que durante 2022, já com o Taycan Cross Turismo a funcionar em pleno, as vendas da gama Taycan deverão estar quase ao nível do Macan ou do Cayenne, que em pouco ultrapassaram as 40 mil unidades nos primeiros seis meses de 2021, enquanto o Taycan, maioritariamente somente com a berlina, rondou as 20 mil unidades.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR