O cantor norte-americano R. Kelly, conhecido, entre outras músicas, pela canção “I Believe I Can Fly”, foi esta segunda-feira declarado culpado por crime organizado e tráfico sexual, após um julgamento em Nova Iorque, nos Estados Unidos da América (EUA), que decorreu durante seis semanas, no qual dezenas de pessoas testemunharam.

De acordo com a imprensa local, o júri anunciou o parecer nove horas depois de deliberações, presumindo que a antiga estrela de R&B dos anos de 1990, que apenas reagiu à decisão, poderá passar várias décadas na cadeia.

R.Kelly foi acusado pelo Tribunal Federal do Distrito Leste de Nova Iorque por crimes de crime organizado, coerção e transporte de mulheres e raparigas menores para envolvimento em atividades sexuais ilegais, nos EUA, durante 20 anos, acusações semelhantes às que enfrenta em Chicago, onde esteve preso, desde 2019 até junho passado.

Cantor norte-americano R Kelly detido após novas acusações de crimes sexuais

Em 12 de julho de 2019, o cantor norte-americano foi detido em Chicago na sequência de 13 acusações, depois de ter sido acusado de abuso de menores no início daquele ano.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“As acusações incluem pornografia infantil, sedução de uma menor e obstrução à justiça”, dizia o porta-voz do Ministério Público, Joseph Fitzpatrick, na ocasião.

R. Kelly saiu da prisão e foi a um McDonald’s onde terá iniciado antes pelo menos uma relação com uma menor

As acusações foram proferidas num tribunal federal do distrito norte de Illinois. Foi a segunda vez nesse ano que o cantor norte-americano foi detido sob acusações de crimes sexuais. Em fevereiro, foi formalmente acusado de 10 crimes de abuso sexual agravado envolvendo quatro vítimas, três das quais menores à data dos acontecimentos.

À época, R. Kelly declarou-se inocente e foi libertado sob fiança.