Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A crescente procura por automóveis eléctricos e electrificados, aliada à redução generalizada da produção de veículos motivada pela falta de chips, tem vindo a baralhar a realidade do mercado europeu. De acordo com os mais recentes dados divulgados pela Jato, em Setembro, não foram os habituais modelos com motores de combustão a liderar o ranking, tendo um eléctrico alimentado por bateria a ocupar essa posição, o que aconteceu pela primeira vez.

Ao transaccionar 24.591 unidades, o Model 3 foi o mais vendido, à frente do Renault Clio (18.264), Dacia Sandero (17.988) e VW Golf (17.507). A liderança da berlina da Tesla foi consequência do seu incremento das vendas, mais 58% face ao mesmo período de 2020, mas foi também fruto das dificuldades encontradas pelos concorrentes com mecânicas tradicionais. Como se confirma pela quebra de 23% nas vendas do Clio, 9% do Sandero e 39% do Golf. Veja aqui como ficou o ranking dos 10 primeiros:

10 fotos

Se o Model 3 conseguiu deixar o Clio, o segundo modelo mais vendido, a uns confortáveis 26%, a vantagem para o 2º classificado no ranking dos eléctricos mais vendidos, em Setembro no mercado europeu, foi ainda mais esmagadora, rondando 63%. Com os já mencionados 24.591 Model 3 vendidos, a Tesla juntou à primeira posição entre os modelos exclusivamente a bateria, a segunda posição, uma vez que o Model Y, com 8926 unidades, foi o 2º mais vendido, à frente do VW ID.3, com 8302. Veja aqui como ficou o top 10:

10 fotos

Entre os híbridos plug-in (PHEV), foi o Ford Kuga o mais procurado, ao comercializar 3385 unidades, à frente do BMW Série 3 (3200) e do Peugeot 3008 (2832). Curiosamente, todos os PHEV viram as suas vendas aumentarem, face a Setembro de 2020, com o Kuga a crescer 59%, o Série 3 71% e o 3008 86%. Este é o ranking:

10 fotos

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR