Os centros de vacinação vão estar abertos nos dias 5, 8, 12 e 19 dezembro para vacinar a população com mais de 50 anos a quem foi administrada a vacina da Janssen contra a Covid-19, anunciou esta quarta-feira o Governo.

Em conferência de imprensa, o secretário de Estado Adjunto e da Saúde afirmou que serão vacinadas as 1,5 milhões de pessoas que já estavam previstas até dezembro, com o reforço das respetivas vacinas, como também será alargada progressivamente a vacinação contra a Covid-19 para os cidadãos que “agora fazem parte do plano, de modo que em janeiro 2,5 milhões de pessoas estejam vacinadas“.

“Para tal vamos ter os centros de vacinação abertos nos dias 5, 8, 12 e 19 dezembro para vacinar a população com mais de 50 anos a quem foi administrada a vacina da Janssen”, disse António Lacerda Sales.

Segundo o secretário de Estado, são mais de 250 mil pessoas nestas circunstâncias, sendo os restantes progressivamente agendados por faixa etária até janeiro.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Vamos continuar este caminho” de aceleração de vacinação, refere Lacerda Sales, que diz que está a ser revisto o plano “para que todo um novo universo de novos elegíveis sejam integrados”. Além disso, admite que “está a ser feito um levantamento da necessidade e da reabertura de novos centros de vacinação”, em estreita parceria com as autarquias e o setor social.

Na quinta-feira, revelou o secretário de Estado, foram vacinadas mais de 50 mil com a terceira dose. “Face a isto e ao incremento de doses diárias que estão a incrementar, estamos em condições de afirmar que vacinaremos as 1,5 milhões de pessoas previstas” até dezembro, destacou.

Na semana passada, a Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou que as pessoas a partir dos 18 anos que receberam a vacina contra a Covid-19 da Janssen vão poder receber uma dose de reforço após 90 dias da administração da primeira.

A dose de reforço será da vacina da Pfizer ou da Moderna, estando elegíveis cerca de um milhão de pessoas.

O secretário de Estado revelou também que o Ministério da Saúde está a rever plano de vacinação para que todo o universo de novos elegíveis seja integrado.

A Direção-Geral da Saúde decidiu também encurtar o intervalo entre a segunda dose e a terceira de seis para cinco meses, bem como administrar um reforço aos mais de 65 anos, profissionais de saúde, do setor social e bombeiros que tenham recuperado da doença e recebido uma dose.

“Apelo a todos os portugueses para continuar no barco da vacinação, o nosso porto seguro contra a tempestade pandémica que ainda não passou”, salientou Lacerda Sales.

A Covid-19 provocou pelo menos 5.165.289 mortes em todo o mundo, entre mais de 258,29 milhões infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 18.370 pessoas e foram contabilizados 1.130.370 casos de infeção, segundo dados da Direção-Geral da Saúde.

A doença é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.