Chama-se Tiago e é o novo “menino bonito” dos indianos da Tata Motors. Trata-se da variante 100% eléctrica de um hatchback com o mesmo nome, daí que para distingui-los a opção tenha sido clarificar de imediato que esta versão é alimentada exclusivamente a bateria, acrescentando “.ev” na designação comercial. E é comercialmente que este novo eléctrico ganha um especial interesse, na medida em que deverá ser vendido por valores a partir de 10.600€, ao câmbio de hoje. Com estas características, não há nada tão barato no mercado europeu, onde o Dacia Spring continua a impor-se como o eléctrico mais acessível ao alcance dos condutores do Velho Continente. Por cá, o citadino romeno com ares de crossover tem preços a partir de 19.600€.

Com uma distância entre eixos de 2,4 metros, o Tiago.ev oferece lugar para cinco ocupantes, podendo transportar as respectivas bagagens numa mala que acomoda apenas 240 litros. A bagageira do Dacia tem maior capacidade (270 litros), mas de resto estes dois modelos são muito próximos em termos de dimensões. O pequeno EV indiano até é ligeiramente mais comprido que o seu rival romeno (3,769 m contra 3,734 m), mas igualmente mais largo (1,677 m versus 1,579 m) e 2 cm mais alto (1,536 m versus 1,516 m).

Mais importante, pelo menos para os que querem ter um veículo eléctrico que lhes permita uma certa tranquilidade em termos de alcance, é a autonomia. Ora, o Tata Tiago.ev vai ser comercializado com duas motorizações, uma para lhe permitir o referido preço e a outra para os que não se importam de desembolsar um pouco mais para, em troca, usufruir de um eléctrico mais potente e capaz de percorrer maiores distâncias entre visitas ao posto de carregamento.

A versão de entrada monta um motor eléctrico com 45 kW (61 cv) e 110 Nm de binário máximo, cumprindo os 0-100 km/h em 6,2 segundos. A armazenar a energia está um pack de baterias com 19,2 kWh, pelo que a autonomia anunciada no ciclo de homologação local é de 250 km. Comparativamente, o Dacia Spring fica aquém em praticamente todos estes pontos (45 cv e 0-100 km/h em 19,1 segundos), ganhando no torque (125 Nm) e na capacidade do acumulador (27,4 kWh). Contudo, certificou uma autonomia de 230 km, segundo o protocolo europeu de medição de consumos e emissões. Significa isto que ou a Tata faz magia ou, muito provavelmente, os dados homologados em WLTP conseguem estar mais próximos da realidade do que os valores obtidos na Índia…

A versão mais “prestacional” é também a que oferece uma maior folga entre recargas, pois monta um acumulador com maior capacidade (24 kWh). Anuncia 315 km de autonomia, 55 kW (75 cv) de potência e ultrapassa os 100 km/h em 5,7 segundos. Segundo a marca, o Tiago.ev aceita carga rápida, indo de 10 a 80% da capacidade da bateria numa hora.

Apesar do preço (baixo), o novo Tiago.ev não exibe um interior espartano. Lá está o ecrã táctil para comandar o sistema de infoentretenimento, que é compatível com Android Auto e Apple CarPlay, e parece ter existido algum cuidado na escolha dos materiais para os revestimentos. De série, o pequeno modelo oferece cruise control adaptativo e ar condicionado automático.

Vai abrir reservas a 10 de Outubro, para que as primeiras unidades comecem a chegar aos clientes no início do próximo ano. Mas não aos europeus, pois não está nos planos da marca exportar o Tiago.ev para estas paragens.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR