Nascimento da rainha Isabel II

21 de abril de 1926. Basta recuar duas gerações para perceber como as circunstâncias da família real britânica já foram muito diferentes. À data as colónias do Reino Unido incluíam a Índia, Nigéria, Hong Kong e Quénia. Também as tradições reais, aquando do nascimento de um bebé, foram vítimas da passagem do tempo.

AFP/Getty Images

Celebrar o nascimento na família real

A 14 de novembro de 1948 membros da marinha celebravam o nascimento do príncipe Carlos com um brinde de rum. Mais recentemente, a chegada de bebés à família real britânica continua a ser um momento de grande comoção, ainda que os casamentos reais sejam motivo de maior atração.

Don Price/ Fox Photos/Hulton Archive/Getty Images

Os bebés reais nasciam em casa

Era tradição real as mães darem à luz em casa. A princesa Diana foi a primeira a quebrar esse protocolo. O primogénito William nasceu a 21 de junho de 1982 na Lindo Wing, no Hospital de St. Mary, em Londres. Foi aqui que Kate viu nascer os seus três filhos.

PA/AFP/Getty Images

O anúncio do nascimento era e é anunciado às portas do Palácio de Buckingham

Foi assim aquando do nascimento do príncipe Carlos, o filho mais velho da rainha Isabel II, em 1948. O mesmo aconteceu com a chegada do príncipe George, a 22 de julho de 2013, dia em que a notícia foi afixada num cavalete às portas do palácio.

Fox Photos/Hulton Archive/Getty Images

Depois do cavalete, as redes sociais

Atualmente, os nascimentos também são comunicados via redes sociais. Não foi por acaso que a conta de Instagram dos duques de Sussex foi criada no início de abril.

© Instagram

As primeiras fotos dos bebés reais: no batizado…

Desde há muito que é costume os pais posarem para a fotografia com os bebés reais nos braços. Antigamente, as primeiras imagens a vir a público eram registadas por altura do batizado.

-/AFP/Getty Images

… e à porta da maternidade

Mais recentemente, tornou-se uma espécie de ritual os casais reais posarem à porta da maternidade com o recém-nascido. Foi o que aconteceu quando o príncipe George – o primeiro filho de William e de Kate – nasceu. Os bebés são embrulhados numa manta da empresa G.H. Hurt & Sons na primeira aparição.

Chris Jackson/Getty Images)

O bebé real tem três ou quatro nomes

É mais do que costume os bebés reais terem três ou quarto nomes. O nome do filho mais velho da rainha Isabel II, por exemplo, é Charles Philip Arthur George.

STF/AFP/Getty Images

O nome não é logo anunciado

Só passados alguns dias é que se conhece o nome do bebé real. Isso acontece porque o sexo também só é conhecido aquando do nascimento. É dado tempo aos pais para escolherem o nome e comunicá-lo à rainha. Quando Louis nasceu foram precisos três dias para lhe conhecer o nome.

Jack Taylor/Getty Images

O vestido de batizado original…

Desde 1841 que os bebés reais usam um fato próprio no dia do batizado. O vestido, cuja tradição começou com a rainha Victoria, já foi usado por 62 bebés em 163 anos, princesa Anne incluída (na foto).

Central Press/Hulton Archive/Getty Images

… e a réplica

Depois de tantos anos ao serviço da família real, George, Charlotte e Louis usaram uma réplica do vestido de batizado original, o qual também deverá ser emprestado ao filho de Harry.

y Mary Turner – WPA Pool/Getty Images

São muitos os padrinhos

O príncipe George tem sete padrinhos, Louis tem seis e Charlotte tem cinco. A família real tende a escolher os padrinhos entre os amigos próximos e os primos. Por tradição, a família mais chegada fica excluída desta lista.

Matt Dunham – WPA Pool /Getty Images

A rainha é a primeira a saber

Por tradição, a rainha é sempre a primeira pessoa a saber quando nasce um bebé na família real britânica.

ANDY RAIN/EPA