Explicador

Ao fim de 15 anos a TAP foi privatizada. E agora?

Junho 201512 Junho 2015
Ana Suspiro

Qual é o valor da venda da TAP?

Pergunta 1 de 10

É uma pergunta que tem várias respostas e muitos milhões separam cada uma das possíveis respostas.

Começando pelo vendedor. O Estado vende 61% do capital da TAP por dez milhões de euros. Pelo mesmo valor (por ação), o comprador poderá comprar os 34% que ficam em mãos públicas nos próximos dois anos, o que representa mais seis milhões de euros. As contas excluem os 5% do capital que podem ser comprados pelos trabalhadores, mas que os privados terão de adquirir se não forem totalmente colocados.

O vencedor da privatização propõe, contudo, um bónus que permite melhorar o negócio para o Estado, elevando o encaixe total até 140 milhões de euros. Mas a concretização desta receita depende de vários ses: a TAP tem de apresentar uma margem operacional (EBITDAR) superior a 250 milhões de euros em 2015 e uma parte do capital terá de ser colocada na bolsa num prazo de quatro anos.

O encaixe do Estado que já está assegurado são 16 milhões de euros por 100% do capital. É pouco?

A TAP tem ainda uma dívida de 1.060 milhões de euros (dados de 2014) que é assumida pelo comprador.

O Governo lembra ainda que a companhia tem capital próprio negativo de mais de 500 milhões de euros. Este é o buraco nas contas que coloca a empresa em falência técnica e justifica as avaliações negativas feitas pelos consultores do Estado. A TAP foi avaliada num intervalo entre os 274 milhões e os 512 milhões de euros negativos. É aqui que entra o outro lado do negócio.

O Governo sempre disse que o principal objetivo desta privatização não era o encaixe do Estado, mas sim a recapitalização da TAP. Os acionistas privados têm de fazer aquilo que o acionista público está impedido de fazer, por regras europeias, pelo menos sem um custo elevado: meter dinheiro na empresa.

A dupla David Neeleman e Humberto Pedrosa prometeram investir 338 milhões de euros na TAP em capital, prestações suplementares ou outros ativos que valem como capital, incluindo aviões. A primeira tranche de 269 milhões de euros terá de ser entregue logo após o fecho do negócio. O resto será pago ao longo de um ano em quatro prestações trimestrais de 17 milhões de euros. Ainda assim, a empresa permanece em situação líquida negativa. Só mais capital ou resultados muito bons podem reverter este quadro.

Por isso, o governo diz que a oferta pela TAP varia entre os 354 milhões e os 488 milhões de euros. O que explica a diferença é o encaixe para o Estado que pode variar entre os 16 milhões e os 140 milhões de euros. 

 

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site