Circula nas redes sociais a informação de que o site de notícias brasileiro G1 terá apagado uma notícia que informava que as manifestações de apoio a Jair Bolsonaro, no 1º de Maio, tinham juntado mais pessoas do que os protestos a favor do impeachment contra a ex-Presidente Dilma Rousseff. De acordo com uma imagem da alegada peça jornalística, cerca de 25 milhões de brasileiros terão saído à rua no Dia do Trabalhador “em mais de 1.200 cidades” do Brasil, como as “capitais importantes” de São Paulo e Rio de Janeiro. A contabilização terá sido feita pela Polícia Militar.

A publicação do Facebook que mostra a imagem do alegado artigo do G1

Pesquisas realizadas no motor de pesquisa do Google e no site G1 não permitiram, de facto, encontrar a notícia referida, o que significa que, a ter existido, esta já não se encontra online. Mas será que os utilizadores do Facebook e Twitter têm razão? Será que o G1 apagou o artigo sobre as manifestações do 1 de Maio de 2021?

Em relação à pesquisa feita no Google, os resultados remetem na sua maioria para artigos de fact checking realizados por vários órgãos de comunicação do Brasil sobre esta mesma informação. Em todos é possível encontrar a mesma conclusão: que a informação que circula é falsa, como refere, por exemplo, o o Estado de S. Paulo, o Lupa (do jornal Folha de S. Paulo) ou o próprio G1, que garante que “tal manchete jamais foi publicada” no seu site. Não foi igualmente possível encontrar qualquer indício da notícia na Wayback Machine do Internet Archive, um arquivo que guarda cópias de antigas páginas da internet, quer através do link indicado no post quer através do título da alegada notícias. Segundo o site, “nenhum URL foi capturado para este domínio”.

A Wayback Machine do Internet Archive não tem qualquer registo da página do suposto artigo

Tudo isto indica, logo à partida, que a notícia nunca existiu. Mas olhemos mais de perto para a imagem do alegado artigo do G1 que está a ser partilhada nas redes sociais, começando pelo título: este tem um ponto final no fim, uma prática que não é correta ou comum no meio jornalístico. Uma breve pesquisa pelo G1 permite rapidamente também concluir que o site de notícias não coloca pontos finais nos títulos. E o próprio o diz no fact check que fez à publicação: “Um ponto final (…) foi utilizado no título, fora do padrão do G1.”

A aba da janela indica um título diferente ao apresentado no início do texto

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Outros detalhes sugerem que esta deverá tratar-se de uma notícia falsa: na aba da janela, no canto superior direito, é possível ler as primeiras palavras de um título diferente, “Grupos contra e a favor de Bo…”, que remete para a um outro artigo. Esse artigo, “Grupos contra e a favor de Bolsonaro fazem atos em Brasília”, sobre uma manifestação na Esplanada dos Ministérios em Brasília, foi publicada no G1 a 21 de junho de 2029. Os autores são os dois jornalistas que assinaram a alegada peça sobre as manifestações do 1 de Maio, Afonso Pereira e Pedro Gomes, e a hora da publicação é a mesma, 11h59.

A notícia do G1 que foi alterada para divulgar a falsa notícia sobre as manifestações do 1 de Maio de apoio a Bolsonaro

Tudo isto leva a crer que a alegada peça sobre as manifestações a favor de Bolsonaro nunca existiu e que a imagem que circula se trata de uma montagem feita a partir de uma outra notícia do G1, publicada a 21 de janeiro de 2020. Além disso, a Polícia Militar, a suposta fonte do artigo, não tem por hábito divulgar estatísticas de manifestações. Contactadas pelo jornal Estado de S. Paulo, as polícias militares de S. Paulo e Rio de Janeiro negaram precisamente tê-lo feito, enquanto a de Minas Gerais garantiu que não faz tal levantamento. A mesma resposta foi dada pela Polícia Militar de Brasília. Ou seja: uma vez que não foram divulgados quaisquer dados relativos a protestos do 1 de Maio, estes nunca poderiam ter sido noticiados pelo G1 ou por qualquer outro jornal do Brasil. O número indicado, 25 milhões de manifestantes, não tem, também por isso, qualquer base factual.

Conclusão

O G1 não apagou uma notícia que informava que as manifestações do 1 de Maio de apoio a Jair Bolsonaro tinham juntado mais pessoas do que os protestos a favor do impeachment contra a ex-Presidente Dilma Rousseff porque esta nunca existiu. A imagem que circula da alegada peça jornalística é uma montagem feita a partir de um outro artigo do site brasileiro de notícias, “Grupos contra e a favor de Bolsonaro fazem atos em Brasília”, datada de junho do ano passado.

Segundo a classificação do Observador, este conteúdo é:

ERRADO

No sistema de classificação do Facebook, este conteúdo é:

FALSO: As principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “falso” ou “maioritariamente falso” nos sites de verificadores de factos.

Nota: este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact checking com o Facebook.

IFCN Badge