Logo Observador
Macroeconomia

Economia alemã poderá crescer em 2014 menos que os 1,8% previstos

A economia alemã poderá crescer menos em 2014 do que os 1,8% previstos pelo governo, embora permaneça num nível "muito aceitável" face aos parceiros da União Europeia.

BORIS ROESSLER/EPA

Autor
  • Agência Lusa

Sigmar Gabriel, ministro da economia da Alemanha, explicou à rádio Deutschlandfunk que a crise na Ucrânia afetou o clima de investimento no país, não só nas empresas, como nas relações comerciais com a Rússia.

“Pode ser que, no final do ano, os números do Produto Interno Bruto (PIB) saiam um pouco abaixo da nossa previsão de 1,8%”, salientou.

“Não obstante, a Alemanha ainda apresentará, em termos de comparação a nível europeu, uma boa atividade económica”, garantiu, adiantando que o mercado de trabalho se mantém “robusto”.

Em abril, o governo alemão avançou com a previsão de que o crescimento da maior economia da Europa deveria crescer 1,8% no final deste ano.

Os dados oficiais divulgados em agosto mostram que o PIB se contraiu 0,2% no segundo trimestre deste ano, evolução que foi atribuída pelo governo alemão às tensões geopolíticas na Ucrânia e no Médio Oriente.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Crise financeira

BCE, bancos e governos: lições da crise

Inês Domingos

Agora que a urgência da crise passou é importante refletir sobre a criação de uma instituição Europeia para apoiar os Estados em dificuldades (ilíquidos, mas não insolventes) de forma permanente.