Media

Mafalda Anjos é a nova diretora da revista Visão

Em comunicado a Impresa anuncia que João Garcia abandona o cargo de diretor da revista Visão e será substituído por Mafalda Anjos, que era diretor-adjunta. A Caras também tem novo diretor.

José Goulão/LUSA

Mafalda Anjos é a nova diretora da revista Visão, substituindo assim João Garcia, que sai da direção da publicação um ano depois de ter assumido o cargo. O comunicado enviado às redações não refere as razões por que sai João Garcia, nem se permanece no grupo, apenas deixa um agradecimento:

A João Garcia, a administração do Grupo Impresa agradece todo o seu empenho, dedicação e profissionalismo, demonstrados ao longo de vários anos, em projetos editoriais como o Expresso, a Visão ou o Courrier Internacional.

Na mesma nota é referido que Mafalda Anjos — que era diretora adjunta de João Garcia (ambos saíram do Expresso para a Visão) — assumirá o cargo a partir do próximo dia 1 de setembro. Rui Tavares Guedes, que transitou da direção anterior liderada por Pedro Camacho, continuará a integrar a direção da revista. O conselho de redação da revista já foi informado destas mudanças.

Mafalda Anjos passou pela revista “Exame”, revista “Focus”, “Semanário Económico” e foi editora da Revista do Expresso, cargo que ocupou durante sete anos.

Caras e Caras Decoração com nova diretora

As mudanças nas direções de publicações da Impresa, grupo de Francisco Pinto Balsemão, não ficam por aqui. As revistas Caras e Caras Decoração vão passar a ser dirigidas por Natalina de Almeida a partir de 1 de agosto., que substitui a atual diretora Fernanda Dias.

Natalina de Almeida era editora executiva da Caras desde 2006. Passou pela revista “Ego”, “Mulher Moderna”, “Ana”, “A Próxima Viagem”, “VIP” e foi diretora editorial da “Nova Gente”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Incêndios

O dr. Costa é mau demais para ser mentira

Alberto Gonçalves
188

O que não faz sentido é que o dr. Costa se julgue no direito de governar pessoas minimamente saudáveis ou de conviver com elas. Como não faz sentido que esta apatia com fronteiras se suponha um país.

ERC

O Imperador vai nu

Luís Reis
260

Carlos Magno usou a majestática influência que o seu nome contém para decidir sozinho em tema da maior gravidade. Infelizmente não o fez como um Carolus Magnus, antes como um autêntico Carolus Parvus.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site