Incêndios

Mais de 20 concelhos com risco máximo de incêndio

Mais de 20 concelhos de seis distritos de norte a sul do país estão em risco "Máximo" de incêndio. O distrito com mais concelhos em risco é a Guarda, depois Coimbra e Castelo Branco.

Para este sábado, o IPMA prevê uma pequena subida da temperatura, com céu pouco nublado ou limpo

HUGO DELGADO/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

Mais de 20 concelhos de seis distritos de norte a sul do país estão, este sábado, em risco “Máximo” de incêndio, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

De acordo com o IPMA, estão em risco ‘Máximo’ os concelhos de Castelo de Paiva e Arouca (distrito de Aveiro), S. Pedro do Sul e Castro Daire (Viseu), Trancoso, Aguiar da Beira, Celorico da Beira, Fornos de Algodres, Gouveia, Guarda e Sabugal (Guarda), Arganil, Góis e Pampilhosa da Serra (Coimbra), Figueiró dos Vinhos (Leiria), Oleiros, Sertã e Vila de Rei (Castelo Branco), Maçã e Sardoal (Santarém).

O instituto colocou também em risco “Muito Elevado” e “Elevado” concelhos de vários distritos do interior norte, centro e sul do país.

O risco de incêndio determinado pelo IPMA engloba cinco níveis, que podem variar entre “Reduzido” e “Máximo'”.

O cálculo é feito com base nos valores observados às 13h00 em cada dia, relativamente à temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

Para este sábado, o IPMA prevê uma pequena subida da temperatura, com céu pouco nublado ou limpo, apresentando-se muito nublado no litoral oeste durante a manhã, podendo a nebulosidade persistir ao longo do dia em alguns locais da faixa costeira a norte do cabo Raso e aumentando temporariamente durante a tarde nas regiões do interior.

O vento soprará em geral fraco (inferior a 20 km/h) do quadrante norte, sendo do quadrante leste no Algarve.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Barrigas de Aluguer

Por quanto se vende um filho?

Domingos Freire de Andrade

Não é aceitável que uma mulher transporte durante 9 meses uma criança que nasce com duas mães, sendo separada à nascença da única pessoa que conheceu até esse momento.

IPSS

Raríssimas, uma história de subdesenvolvimento

Helena Garrido
433

Num país desenvolvido as instituições teriam funcionado e a Casa dos Marcos teria sido fiscalizada. Nenhum país enriquece sendo como vimos que Portugal é no caso Raríssimas. Enriquecem algumas pessoas

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site