PSD

Rui Rio em contactos para avançar contra Passos

1.380

O antigo autarca do Porto está no terreno a estudar as condições para avançar com uma alternativa no PSD. Ainda esta semana Passos deixou um aviso ao eventuais desafiadores no partido.

JOSÉ COELHO/LUSA

O antigo presidente da Câmara do Porto Rui Rio está a fazer contactos para avaliar as condições de aparecer, com congresso do PSD previsto para abril de 2018, como alternativa à liderança de Pedro Passos Coelho no PSD.

A notícia é avançada na edição deste sábado do semanário Expresso (disponível na versão paga) que dá conta da atividade de Rio junto de “responsáveis da estrutura do PSD e de personalidades do partido”. O que está em causa é uma avaliação dos apoios que o social-democrata tem nesta altura, para perceber se tem condições para apresentar uma candidatura à liderança depois das autárquicas do próximo ano.

O jornal dá conta que, até aqui, nos contactos que tem estabelecido com pessoas “com diversos graus de responsabilidade” no PSD o ex-autarca tem tido relatos de “desmoralização”, “deceção” e “desconforto” com a atual liderança do partido.

Esta não é a primeira faz que se fala na hipótese de Rui Rio poder aparecer como candidato a líder do PSD, nem sequer é a primeira vez que o próprio avalia no terreno as condições para avançar, mas surge numa altura em que Passos começa a estar sob pressão por causa da estratégia do PSD para as autárquicas. Ainda na última semana, durante uma reunião do Conselho Nacional do partido, Passos Coelho deixou um aviso claro a eventuais desafiadores à sua liderança: “Terão de se haver comigo”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Congresso do PSD

As eleições no PSD

Jorge Barreto Xavier

Gostaria que a disputa no PSD acontecesse entre protagonistas de uma geração mais nova, mas a verdade é que uma geração mais velha foi a jogo. E é nesse quadro específico que é preciso tomar opções.

Morte

Xutos & Pontapés na Igreja e no Estado

P. Gonçalo Portocarrero de Almada

Não podendo o Parlamento honrar todos os cidadãos falecidos, é razoável que reserve as suas homenagens para os portugueses que mais se distinguiram pelo seu saber e serviço à comunidade.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site