Caso BES

Caso BES. Carlos Costa vai dar mais explicações ao Parlamento. Uma ou duas vezes

Parlamento vai ouvir explicações do governador sobre o BES, após reportagem da SIC que volta a questionar ação do Banco de Portugal. PCP já tinha pedido vinda de Carlos Costa que pode vir duas vezes.

JOÃO RELVAS/LUSA

A comissão parlamentar de orçamento e finanças aceita o pedido do governador do Banco de Portugal para prestar novos esclarecimentos sobre o caso BES, na sequência de uma reportagem da SIC que volta a levantar dúvidas sobre a atuação do supervisor no processo que conduziu à resolução do Banco Espírito Santo em 2014, No entanto, ainda não está decidido se este exercício de contraditório pedido por Carlos Costa terá honras de uma audição autónoma, como defende a presidente da comissão, Teresa Leal Coelho, ou se será integrado numa audição que já tinha sido pedida pelo grupo parlamentar do PCP.

Neste pedido, apresentado a 25 de janeiro, ou seja antes da data de transmissão da reportagem da SIC o PCP pede audições da ex-ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, e de Carlos Costa. Em causa está o esclarecimento várias matérias que resultaram da decisão de resolução do BES em 2014 e da solução que criou o Novo Banco, incluindo a venda desta instituição que está numa fase final e o impacto financeiro para os contribuintes. Daí o pedido de audição dos dois principais responsáveis políticos por esta solução.

Miguel Tiago do PCP invocou o requerimento para pedir que a audição pedida pelos comunistas seja marcada o quanto antes e da qual não abdica. O deputado admite permitir a Carlos Costa iniciar a audição com os esclarecimentos que pretende dar, na sequência da reportagem transmitida na semana passada pela SIC, intitulada Assalto ao Castelo. Teresa Leal Coelho remete contudo a decisão para a resposta do governador, considerando que os âmbitos são distintos. A decisão final deverá ser tomada esta quarta-feira, sendo que os deputados reconhecem a urgência de ouvir Carlos Costa, o que poderá acontecer ainda esta semana — na quinta ou na sexta-feira.

Na carta enviada esta semana à comissão parlamentar de orçamento e finanças, Carlos Costa assinala que a sua é responsabilidade como governador prestar contas e proteger a confiança do público na supervisão bancária. O governador diz ainda que pretende repor a verdade e esclarecer factos que foram transmitidos numa reportagem da SIC.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: asuspiro@observador.pt
Justiça

A nossa (grande) ‘Quadrilha’

Filomena Martins
363

Não é estranho que nos últimos anos se tenham descoberto tantos suspeitos de crimes entre os mais poderosos do país? Eram todos bons rapazes antes ou só agora alguém teve coragem para os investigar?

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site