Logo Observador
Luís Montenegro

Montenegro sugere sistema político que dê bónus de deputados ao partido vencedor

128

O líder parlamentar do PSD, Luís Montenegro, defendeu um sistema político que aproxime mais eleitos de eleitores e apontou como exemplo um sistema eleitoral como o da Grécia.

JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O líder parlamentar do PSD, Luís Montenegro, defendeu esta quinta-feira um sistema político que aproxime mais eleitos de eleitores e apontou como exemplo um sistema eleitoral como o da Grécia, que dá um “bónus” de 50 deputados ao partido vencedor.

Numa intervenção num almoço do International Club of Portugal, em Lisboa, no qual foi o orador-convidado, Luís Montenegro defendeu que, apesar de nas legislativas em Portugal se votar para eleger deputados, “escolher em eleições legislativas significa escolher um caminho”, privilegiar a escolha que o povo fez num líder ou numa liderança, e assegurou não estar “a olhar para trás”, para as eleições de 2015, mas a apontar ideias para futuros atos eleitorais.

Por isso, desafiou os partidos de esquerda a ponderarem um sistema eleitoral como o da Grécia, em que o partido vencedor obtém um ‘bónus’ de 50 deputados, permitindo mais facilmente obter maiorias absolutas. “Assim como BE, PS e PCP enalteceram o pulsar do povo grego podíamos aplicar no nosso país essa mesma visão: a visão de que o sistema político é instrumental para concretizar a visão política do povo, tem de respeitar a decisão que o povo tomou”, defendeu, dizendo que defende esta ideia a título pessoal.

Foram muitas as presenças de destacadas figuras políticas do PSD presentes no almoço: na mesa de honra, do orador, ficaram sentados o antigo número dois de Passos Coelho, Miguel Relvas, o vice-presidente Marco António Costa, o presidente da distrital de Lisboa, Miguel Pinto Luz, além do empresário e ex-presidente do Sporting Sousa Cintra e o embaixador da China.

No almoço, para cerca de 200 pessoas, estiveram presentes pelo menos seis dos 11 vice-presidentes da bancada – Hugo Soares, Carlos Abreu Amorim, Amadeu Albergaria, Luís Leite Ramos, Berta Cabral e Nuno Serra – bem como vários deputados, líderes de distritais (além de Lisboa, pelo menos também do Porto, Guarda, Castelo Branco, Santarém, Viseu e Viana do Castelo) e o presidente da Câmara de Espinho, Pinto Moreira.

Antigas figuras destacadas do PSD, como Guilherme Silva, ou o ex-ministro de Cavaco Silva Mira Amaral também marcaram presença, bem como ex-chefes de Casa Civil do anterior Presidente da República, Nunes Liberato e Fernando Lima.

Dias Ferreira, irmão da anterior presidente do PSD Manuela Ferreira Leite, António Ramalho, presidente do Novo Banco, Luís Filipe Pereira, antigo ministro de Durão Barroso, António Preto, ex-deputado e ex-líder da distrital de Lisboa do PSD, foram outras personalidades presentes.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Educação

O Filipa e a escola pública

Maria José Melo

Portugal só será realmente um país civilizado quando existir consciência cívica por parte de todos os cidadãos. Foi esta visão que adquiri no Liceu D. Filipa de Lencastre e me acompanhou toda a vida.