Aeroportos

Homem com bebé ao colo socado por funcionário à espera de voo da Easyjet

850

Incidente ocorreu no aeroporto de Nice, no Sul de França. À espera de um voo para Londres que estava atrasado há 14 horas, um passageiro com um bebé ao colo levou soco de um funcionário do aeroporto.

(notícia atualizada com comunicado da Easyjet a sublinhar que não era um funcionário seu e a explicar o atraso)

Um homem que trazia um bebé ao colo terá sido esmurrado por um funcionário do aeroporto de Nice, sul de França. Segundo o relato feito pela imprensa britânica, o passageiro estaria à espera de um voo da Easyjet para Londres (aeroporto de Luton) que estava com atraso de 14 horas. A imagem, que começou a circular nas redes sociais, mostra que houve um desentendimento com um funcionário — que a companhia aérea garante não ter ligação — e que, a certa altura, o funcionário desferiu um soco. A Easyjet está “com urgência” a averiguar o que se passou.

O momento, que se terá passado este sábado, foi registado por uma utilizadora da rede social Twitter, Arabella Arkwright, que remeteu a imagem a alguns dos principais jornais britânicos. Segundo a descrição feita pela testemunha, o passageiro (em terra) trazia ao colo um bebé de nove meses de idade. O funcionário em causa será francês.

Impaciente com o atraso, “o homem com o bebé foi lá e falou com o francês e o francês não lhe respondeu, apenas sorriu de forma antipática — dali a momentos, atingiu o lado esquerdo do rosto do homem”. Esta é a descrição feita por Arabella Arkwright, citada pelo The Telegraph, que acrescenta que foi o seu marido que afastou o funcionário do passageiro.

A polícia foi chamada ao local, mas o homem acabou por embarcar no avião, sendo aplaudido pelos outros passageiros à entrada na aeronave, segundo o relato de Arabella.

Contactada pelo mesmo jornal, a Easyjet disse-se “muito preocupada” com o incidente e garante estar “com urgência” à procura de respostas. O funcionário em causa trabalha, garante a Easyjet, para uma empresa associada que trabalha no aeroporto de Nice.

Easyjet esclarece que funcionário não era da companhia

Em comunicado posterior, a companhia aérea diz que “recebeu com apreensão a notícia sobre o incidente em Nice entre um passageiro e um funcionário de uma empresa prestadora de serviços ao Aeroporto de Nice. A pessoa em causa não é membro da equipa easyJet nem trabalha para o handling da easyJet em Nice. Apresentámos este caso ao Aeroporto de Nice e ao seu fornecedor, Samsic, e o aeroporto confirmou a suspensão do trabalhador”.

A propósito do atraso no voo, a empresa pede “sinceras desculpas pela demora”.

O atraso deveu-se a um problema de natureza técnica causado por um veículo de abastecimento no aeroporto de Nice, que se afastou ainda com parte da mangueira ainda conectada à aeronave. Daqui resultaram alguns danos e tivemos que encontrar uma aeronave e tripulação de substituição. Embora fosse expectável que uma aeronave e tripulação de substituição pudessem vir de Lyon para operar o voo, tal não foi possível e a aeronave e tripulação de substituição foram enviadas de Londres Gatwick. Trabalhámos arduamente para organizar um voo de substituição para que os passageiros pudessem viajar para Londres Luton o mais rápido possível. Sabemos e compreendemos a frustração causada pelo atraso.

A empresa acrescenta, ainda, que “o pessoal de terra da easyJet em Nice manteve os passageiros informados e nossa aplicação de monitorização de voos foi atualizada sete vezes durante o período de atraso, mantendo os passageiros ao corrente do estado do voo. Foram distribuídos vouchers de alimentação aos passageiros”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: ecaetano@observador.pt
Medicina

Mãe e avó

Pedro Vaz Patto

A respeitável intenção de ter um filho não pode levar a fazer deste um objeto de um desejo ou de um direito, a satisfazer esquecendo ou ultrapassado o seu supremo bem.

Pobreza

O dia mundial dos pobres, uma hipocrisia?!

P. Gonçalo Portocarrero de Almada

Com o valor, certamente astronómico, da hipotética venda da Pietà, milhões de pobres, que vivem agora na miséria, poderiam ser significativamente ajudados.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site