Óbito

Morreu a atriz portuguesa Tareka. Tinha 90 anos

822

Morreu a atriz portuguesa Maria Teresa Ramalho, conhecida como Tareka. Era mãe do também ator Tozé Martinho, da escritora Ana Maria Magalhães e do médico Manuel Maria Martinho.

Autores
  • Agência Lusa
Mais sobre

Morreu a atriz portuguesa Maria Teresa Ramalho, conhecida como Tareka, disse à agência Lusa fonte próxima da família..Tinha 90 anos e estava internada naquela unidade hospitalar desde 12 de outubro. O funeral da atriz realiza-se quarta-feira de manhã em Salvaterra de Magos, em Santarém, onde vivia.

A atriz, mãe do também ator Tozé Martinho e da escritora Ana Maria Magalhães, participou em várias novelas da TVI como “Dei-te Quase Tudo” ou “Olhos de Água”. Tornou-se conhecida do grande público como Tareka, em 1976, no concurso televisivo “A visita da Cornélia”, em que, com o filho Tozé Martinho, formou uma das principais equipas deste programa da RTP.

Participou em várias produções televisivas, sobretudo telenovelas, algumas escritas pelo filho, ator e argumentista. Fez parte do elenco de “Origens”, “Ricardina e Marta”, “Palavras Cruzadas”, “Roseira Brava” e “Estátua de Sal”, na RTP, “Dei-te Quase Tudo”, “Olhos de Água” e “Todo o Tempo do Mundo”, na TVI, entre outras produções.

Na SIC, entrou na série “Uma Aventura”, inspirada nos livros de sua filha Ana Maria Magalhães, escritos em parceria com Isabel Alçada. Maria Teresa Ramalho era também irmã da escritora Isabel da Nóbrega.

Estreou-se nas letras com o romance “A Árvore”, em 1961, a que se seguiram “A Hora da Verdade” e livros de contos, com títulos como “Os Dias Longos” e “À Beira da Estrada”. “Olha para mim”, o último romance, foi publicado em 2014. Além de dança, também estudou desenho, tendo sido discípula de Raquel Roque Gameiro.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Alimentação

A gula do sr. ministro

José Miguel Pinto dos Santos

Se a “alimentação saudável” é objetivo prioritário do Estado, porque é a medida restrita aos hospitais? Porque não proporcionar as suas vantagens também a todo o funcionalismo público e aos deputados?

Debate

Desimportantizar os caraoqueiros

Paulo Tunhas

O pensamento-karaoke funciona como obstáculo a que se procure entender o que se passa à nossa volta. Os caraoqueiros estão-se, de resto, nas tintas. Só querem caraocar mais alto do que os outros.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site