Armas De Fogo

Secretas pedem campanha de desarmamento em Portugal

160

Estima-se que existam em Portugal entre um milhão e um milhão e meio de armas ilegais. As secretas querem uma nova campanha de desarmamento em todo o território nacional, diz o DN.

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Estima-se que existam em Portugal entre um milhão e um milhão e meio de armas ilegais, um facto que preocupa o Serviço de Informações de Segurança (SIS). Segundo o Diário de Notícias, as secretas pediram ao Governo e às forças e serviços de segurança para que haja uma nova campanha de desarmamento — já não há uma em Portugal desde 2006.

A sugestão surge num relatório enviado recentemente ao gabinete do primeiro-ministro, às forças e serviços de segurança e aos ministérios da Administração Interna e da Justiça. No documento, citado pelo jornal, lê-se que o comércio ilícito de armas continua a marcar o quotidiano das chamadas zonas urbanas sensíveis.

Nos últimos cinco anos, foram apreendidas apenas 61 mil armas em operações de fiscalização e de investigação criminal. Assim, o organismo acredita que o mercado relacionado com esta criminalidade se mantém com substancial dinamismo, agravando o risco dos crimes mortais contra as pessoas ou mesmo os acidentes.

É claro que muitos criminosos não irão entregar as armas numa operação de desarmamento, mas dessa forma pode reduzir-se o risco de que as armas que estejam na posse de outros cidadãos possam ser roubadas ou vendidas para o mercado de armas ilegais.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: ecaetano@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site