Novak Djokovic, o número dois do ranking ATP, venceu o português João Sousa em três sets, numa partida que foi interrompida duas vezes por causa da chuva. O vimaranense até entrou bem na partida com dois pontos conquistados, obrigando o sérvio a aplicar-se para dar a volta nas vantagens. Depois, apesar de algumas pancadas com qualidade, o português viu Djokovic chegar ao 4-0 com relativa naturalidade. O primeiro jogo para Sousa chegou e logo no serviço de Novak: 4-1. Pouco depois a chuva interromperia o duelo. O set terminaria 6-1 para o n.º2 do mundo.

O segundo set teve a mesma toada, mas até começou com o português a seguir na liderança ao terceiro jogo: 2-1. O sérvio inverteria rapidamente o resultado, beneficiando de uma dupla falta que irritou o português, que até pontapeou a bola. A partida seria novamente interrompida, quando estava 5-2 para o sérvio, cortesia da chuva, numa tarde amena em Paris (16.º). Nesta paragem, os adeptos que se protegiam das pingas puderam relaxar um pouco e sorrir. Djokovic chamou o rapaz que segurava o chapéu de chuva e ficaram no mesmo banco. Trocou o chapéu pela raquete e lá ficaram em amena cavaqueira, com trocas de sorrisos entre eles. O tenista ofereceu ao rapaz um sumo e até brindaram, quem sabe a uma vitória anunciada. João Sousa estava mais sério, a olhar para o horizonte, porventura pouco satisfeito com o seu desempenho. Quando o céu deu trégua, Djoko serviu para fechar o segundo set: 6-2.

Boris Becker, o novo treinador de Djokovic, estava na bancada, atento ao desempenho do seu pupilo. João Sousa voltou a entrar bem no terceiro set e estava decidido em mostrar pancadas que faziam mais mossa, que revelavam outra dimensão do seu ténis. Ao ceder o 1-1, gritou como se não houvesse amanhã. Não estava satisfeito. Ainda assim, daria uma grande réplica neste terceiro set e chegaria ao match point com um 4-5 no marcador. O sérvio fecharia o encontro com um ás. No fim, deram um aperto de mão e trocaram duas ou três palavras.

João Sousa cai, assim, na primeira ronda de Roland Garros aos pés de Djokovic, um tenista com quem já tinha perdido no US Open (0-6, 2-6, 2-6), em Setembro de 2013.