O ex-ministro socialista Jorge Lacão apresentou esta manhã a demissão do secretariado nacional do PS, para onde tinha entrado depois da última crise interna no partido, confirmou o Observador com o deputado. Lacão vai apoiar a candidatura de Costa à liderança, caso as diretas se venham a realizar.

Ao final da tarde, Susana Amador, membro do secretariado nacional do PS, também apresentou a sua demissão. Susana Amador é presidente da Câmara Municipal de Odivelas.

Em declarações aos jornalistas, no Parlamento, Lacão criticou os elementos da direção que defenderam a não convocação de um congresso e disse desejar que António José Seguro não siga essa opção: “Deve ser o primeiro interessado em tomar essa iniciativa”. O deputado justificou a opção pela demissão dizendo que assim fica “livre de qual lealdade institucional” para com a direção de Seguro e pode assim, “enquanto militante, exprimir” a opinião sobre a liderança.

E a opinião de Lacão é a de que apesar da vitória de domingo nas eleições europeias, o PS precisa de aprofundar o debate sobre a “estratégia e sobre a liderança”. O PS precisa de uma “liderança galvanizadora e mobilizadora”, que gere a “confiança para alargar a base eleitoral quer à esquerda quer à direita”, acrescentou.

Já há um ano Jorge Lacão estava designado como coordenador da campanha de Costa, antes do recuo do autarca de Lisboa em plena Comissão Política do partido. Foi depois desse recuo, e do compromisso que Seguro e Costa celebraram pela pacificação do PS, que Lacão entrou nos órgãos nacionais do partido, sinalizando a abertura do atual líder à inclusão de todas as alas.