O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, afirmou esta terça-feira que se verifica um “risco real” de “violência sectária” no Iraque que pode mesmo ultrapassar as fronteiras no país.

“Estou muito preocupado com a rápida deterioração da segurança no Iraque”, disse o secretário-geral da ONU numa conferência de imprensa hoje em Genebra.

Ban Ki-moon pediu também aos líderes políticos e religiosos iraquianos que se unam para que sejam evitados atos de represália como os que têm sido denunciados e que referem execuções sumárias de centenas de pessoas, sobretudo soldados e recrutas capturados pelo grupo Estado Islâmico do Iraque e Levante.

Também o enviado especial das Nações Unidas ao Iraque, Nickolay Mladenov, afirmou hoje em Bagdad que os ataques dos insurgentes são uma ameaça vital para o país e um perigo para a região.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A ofensiva do Estado Islâmico do Iraque e Levante começou há uma semana e já levou à tomada de várias cidades no norte do país e registam-se confrontos a 60 quilómetros a nordeste de Bagdad.