Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Ainda sobre a polémica em torno de  Lana Del Rey: a filha de Kurt Cobain, Frances Bean Cobain, não gostou do que leu e, através do twitter, respondeu à artista dizendo que “a morte de jovens músicos não é algo que deva ser romantizado”. Numa entrevista ao Guardian, Del Rey terá expressado o desejo de morrer cedo depois de mencionar alguns dos seus heróis, como Amy Winehouse e Kurt Cobain, ambos falecidos aos 27 anos. A cantora e compositora disse “Quem me dera já estar morta”.

Frances Bean, que tinha apenas um ano quando o pai se suicidou, comentou: “Eu nunca vou conhecer o meu pai porque ele morreu cedo e isso torna-se num feito desejável porque pessoas como tu [Lana Del Rey] pensam que é ‘cool’. Bem, não é… Agarra a vida porque só temos direito a uma. As pessoas que mencionaste desperdiçaram a sua. Não sejas uma dessas pessoas… És demasiado talentosa para a desperdiçar”. A Vanity Fair e a Rolling Stone também fazem do tema notícia.

https://twitter.com/LanaDelRey/status/481113499536728064

https://twitter.com/LanaDelRey/status/481114004358983681

Mais tarde, depois de um fã de Lana ter respondido de forma negativa aos tweets, Frances Bean clarificou que não estava a atacar ninguém e que não sente qualquer animosidade em relação à artista. “Estava apenas a tentar pôr as coisas na perspetiva da experiência pessoal”. Não demorou muito para que Lana se fizesse ouvir: “Ele [o jornalista do The Guardian] estava a perguntar-me muito sobre o teu pai e eu disse que gostava dele porque ele era talentoso e não porque morreu cedo… a outra metade do que disse não estava realmente relacionado com as pessoas que ele mencionou. Também não acho que essa parte da música seja glamorosa”.

Frances Bean Cobain Official Twitter

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Vinte anos após a morte de Kurt Cobain, o baixista dos Nirvana, Krist Novoselic, discutiu recentemente o suicídio do vocalista numa entrevista à Reason TV, citada pela Rolling Stone. Novoselic terá que dito que Cobain era “sensível” e que o abuso de drogas era uma grande parte da sua vida. “Ele estava sob muita pressão. E fez uma má decisão”, explicando que, muito provavelmente, Cobain estaria muito alterado quando optou por acabar com a própria vida. Caso estivesse sóbrio, Novoselic defende que Cobain nunca o teria feito. Sem rodeios, o baixista confessou que, no momento da tragédia, Cobain estava drogado (heroína).