O surto de Ébola que afeta África Ocidental infetou até à data 964 pessoas, das quais 603 morreram, segundo o último relatório realizado pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Nos últimos quatro dias registaram-se novos casos nos três países onde se verifica a epidemia: Guiné Conacri, Libéria e Serra Leoa, segundo anunciou esta terça-feira o porta-voz da OMS, Daniel Epstein, em conferência de imprensa realizada em Genebra.

Na Guiné Conacri registaram-se seis novos casos e há suspeitas de mais três, o que eleva o número de pessoas infetadas no país para as 406, das quais 304 morreram.

O porta-voz sublinhou que apesar de parecer que o número de casos na Guiné Conacri estava estabilizado, os novos dados demonstram a persistência dos contágios.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Na Libéria, nos últimos três dias contabilizaram-se 30 novos casos, aumentando para 172 o número de total de infetados, 105 dos quais morreram.

Na Serra Leoa há 49 novos casos, sendo que o total aumenta para 386 de pessoas infetadas, das quais 194 não resistiram ao vírus.

A Organização Mundial de Saúde mostra-se muito preocupada porque ainda persistem muitas ideias erradas sobre a doença e as populações locais não abandonam os costumes ancestrais, como lavar e abraçar os cadáveres antes do enterro, o que expõe as pessoas ao contágio.

A doença que se transmite pelo contacto direto com o sangue ou fluidos corporais das pessoas ou animais infetados causa hemorragias graves e pode provocar taxas de mortalidade da ordem dos 90 por cento.

Epstein disse ainda que o estabelecimento de um centro de coordenação epidémico em Conacri para coordenar e harmonizar o apoio técnico oferecido aos países afetados deve entrar em funcionamento esta semana.

O centro vai ter também como funções coordenar as ações de prevenção junto dos Estados vizinhos aos países que se encontram já afetados.

A OMS ativou também a Rede Global de Alerta e Respota (GOARN na sigla em inglês), uma rede formada pelas agências internacionais, governos, universidades e outras entidades, assim como solicitou o envolvimento de especialistas de diversas áreas que possam eventualmente deslocar-se aos três países afetados.