A 21st Century Fox, império de media liderado por Rupert Murdoch, fez uma oferta pública de aquisição à também gigante Time Warner. A proposta, no valor de 80 mil milhões de dólares (cerca de 59 mil milhões de euros), foi apresentada pela 21st Century Fox nas últimas semanas, noticiou esta quarta-feira o The New York Times, mas foi recusada. E poderá haver novos esforços futuros.

O magnata australiano Rupert Murdoch construiu um império de média ao longo de quase cinco décadas, abrangendo estúdios, canais de televisão e jornais, em parte por causa de ofertas ousadas como esta, que muitas vezes foram inicialmente rejeitadas pelos alvos, mas que se acabavam por se concretizar mais tarde. De acordo com o jornal New York Times, de momento a Time Warner recusou a oferta, dizendo que não era “do melhor interesse da empresa”.

A 21st Century Fox reagiu, confirmando que tinha feito a proposta no mês passado. “O Conselho de Administração da Time Warner recusou-se a prosseguir com a nossa proposta. De momento não temos qualquer discussão em curso com a Time Warner”, disse o porta-voz da 21st Century Fox, citado pelo New York Times.

No entanto, fontes citadas pelo jornal dizem que Rupert Murdoch está determinado e é pouco provável que desista da compra.

Juntas, a Fox e a Time Warner iriam formar um gigante da televisão, com uma série de redes de televisão e canais como Fox, Fox News, FX, TNT, TB e HBO Premium, além de unir os lendários estúdios de cinema Warner Bros e 21st Century Fox.

Como parte da proposta para comprar a Time Warner, fontes afirmaram ao jornal americano que a 21st Century Fox informou que iria vender a CNN para evitar potenciais questões de concorrência, uma vez que a Fox News concorre diretamente com a CNN.

Ou seja, a nova empresa poderia levar a uma reformulação da indústria dos média, dando origem a uma nova onda de super fusões entre as maiores empresas de entretenimento norte-americanas.