Joko Widodo será o próximo presidente indonésio. Depois de uma recontagem dos votos das eleições de 9 de julho, em que ambos os candidatos declararam vitória, a comissão nacional de eleições anunciou que Widodo obteve 53,13% dos votos, mais 6,3% do que o seu adversário, Prabowo Subianto, que denunciou a existência de fraude eleitoral e retirou-se da corrida.

Dos 130 milhões de votantes existentes na Indonésia, Joko Widodo recolheu o apoio de mais de 70,6 milhões, superando Subianto em cerca de 8 milhões, o que motivou um protesto formal da parte deste. “A eleição presidencial de 2014 esteve crivada de problemas. O processo eleitoral foi antidemocrático e contra a constituição”, disse Prabowo Subianto em conferência de imprensa já esta terça-feira, em Jacarta, acusando a própria comissão de eleições de ser “a fonte de todos os problemas” do processo.

Já no fim de semana Prabowo havia pedido que a divulgação dos resultados fosse adiada até que as alegações de fraude por si feitas fossem investigadas, mas o pedido foi negado, uma vez que o candidato não apresentou quaisquer provas da existência dessa fraude. Aliás, alguns analistas, ouvidos pelo Jakarta Post, acreditam que não será fácil a Prabowo contestar os resultados eleitorais junto do Tribunal Constitucional, visto a distância para Joko Widodo ser de 6,3%. Por outro lado, o advogado da própria candidatura de Prabowo admitiu que não será apresentada nenhuma queixa, uma vez que Prabowo saiu da corrida voluntariamente.

O vencedor das eleições, Joko Widodo, conhecido como Jokowi, tem 53 anos e é desde 2012 governador de Jacarta – para cujo cargo foi eleito, aliás, com o apoio de Prabowo. O anterior presidente, Susilo Bambang Yudhoyono, ocupou o cargo durante dez anos e estava agora impedido de se candidatar pela terceira vez. Segundo alguns analistas, a eleição de Jokowi representa uma mudança política no país, que, apesar de já não ser governado pelo autoritário Suharto desde 1998, se mantinha na esfera de influência do ditador – Prabowo Subianto é seu genro.