O pai de uma das seis vítimas da tragédia na praia do Meco disse nesta sexta-feira à agência Lusa não ter ficado surpreso com o arquivamento do processo e adiantou que pretende recorrer da decisão do tribunal.

“Surpresa não foi. Já devia ter sido há mais tempo, mas nós [pais] avançámos com um processo contra José Gouveia [o único sobrevivente] e terceiros. Nós vamos recorrer”, disse António Soares, pai de Catarina Soares, uma das jovens que morreram na praia do Meco em dezembro do ano passado.

O Ministério Público (MP) arquivou o inquérito à morte de seis jovens na praia do Meco, concluindo ter sido um acidente, foi nesta sexta-feira noticiado.

O jornal Correio da Manhã avança na sua edição de hoje que o caso foi arquivado pelo MP na quinta-feira, enquanto o Diário de Notícias refere que o MP de Almada concluiu que foi um acidente e que não pode ser imputada qualquer responsabilidade criminal ao único sobrevivente.