MH17

Malaysia Airlines sai da bolsa e vai ser reestruturada e privatizada

A proposta para a reestruturação da companhia inclui a compra de 30% do capital aos investidores minoritários e uma reestruturação, que ficará concluída até ao final do mês.

AHMAD YUSNI/EPA

A transportadora de bandeira da Malásia, a Malaysia Airlines, vai sair da bolsa e ser alvo de uma reestruturação para a sua privatização depois dos dois acidentes que marcaram tragicamente os últimos meses da empresa.

Depois do desaparecimento, em março, do Boeing 777 sob o número MH370 quando fazia a ligação entre Kuala Lumpur e Pequim, em julho outro avião da companhia, que ligava Amesterdão a Kuala Lumpur sob o número MH17, foi abatido por um míssil quando sobrevoava o leste da Ucrânia.

Perante os casos, o acionista maioritário — a estatal Khazanah Nasional — apresentou uma proposta para a reestruturação da companhia que sai da bolsa.

A proposta inclui também a compra dos 30% do capital aos investidores minoritários e a reestruturação que ficará concluída até ao final do mês.

A Malaysia Airlines enfrentou nos últimos anos prejuízos e o Estado quer agora salvar a empresa, incluindo a aplicação de um novo modelo de negócio que viabilize a rentabilidade da companhia.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)