Washington, 27 ago (Lusa) – O Fundo Monetário Internacional afirmou hoje que não tem “comentários adicionais” a fazer à investigação a Christine Lagarde, diretora-geral do FMI, num caso que envolve uma indemnização ao empresário Bernard Tapie. “A diretora-geral já se exprimiu sobre este caso. Ela está a caminho de Washington e informará o conselho de administração do FMI logo que possível”, declarou o porta-voz do FMI, Gerry Rice, num comunicado enviado à France Presse. “Até lá, não temos comentários adicionais a fazer”, acrescentou.

Lagarde, que foi indiciada por negligência, considerou a decisão da justiça “completamente infundada” e disse à France Presse que excluía a possibilidade de se demitir do FMI, que lidera desde julho de 2011, após a partida de Dominique Strauss-Khan, na altura envolvido em problemas judiciais nos Estados Unidos.

O conselho de administração do FMI tem manifestado sempre confiança em Lagarde, apesar do inquérito, que já decorre há algum tempo e durante o qual Lagarde já tinha sido ouvida várias vezes, mas como testemunha. A investigação diz respeito à atribuição em 2008 de uma indemnização de 403 milhões de euros ao empresário Bernard Tapie, no âmbito da venda da Adidas ao Crédit Lyonnais. Na altura, Lagarde era ministra das Finanças de Nicolas Sarkozy.