Segundo um comunicado da Comissão do Mercado de Valores Imobiliários (CMVM), emitido na manhã desta sexta-feira, o Estado vai encaixar 343 milhões de euros com conclusão, esta noite, da reprivatização dos Correios de Portugal (CTT) – uma venda de 31,5% do capital social da empresa (o equivalente a 47.253.834 ações).

A Parpública concluiu a venda ao preço de 7,25 euros por ação, o que mostra um desconto pequeno face ao valor das ações. Na quinta-feira, após o anúncio desta operação no Conselho de Ministros, o valor das ações da CTT subiu 1,3%, alcançando os 7,81 euros. As ações ficaram colocadas, procedendo-se agora à sua compra ao preço contratado pelos investidores que tomaram posições até dia 10, quarta-feira.

“É estimado que a receita total resultante da oferta seja de 343 milhões e que a liquidação da oferta ocorra em 10 de setembro de 2014”, lê-se no comunicado.

A Caixa BI e a JP Morgan Securities foram os responsáveis por angariar interessados para a venda das ações, que começou nesta sexta-feira às oito da manhã.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A CMVM não divulgou o número de investidores interessados, nem a percentagem de quantos destes são estrangeiros.

A primeira fase de privatização dos CTT já tinha representado o encaixe de 579 milhões de euros. Somando o valor hoje divulgado, o Estado teve um encaixe final de 909 milhões de euros.

(O comunicado da CMVM está disponível em anexo à notícia.)

Documentos