O secretário de Estado norte-americano, John Kerry, inicia esta terça-feira uma viagem à Jordânia e à Arábia Saudita no âmbito dos esforços para formar uma coligação internacional para deter os combatentes da organização fundamentalista Estado Islâmico.

Uma porta-voz do departamento de Estado indicou que mais de 40 países já manifestaram disponibilidade para ajudar de alguma forma a combater os jihadistas, que se apoderaram de uma parte da Síria e do norte do Iraque. “O objetivo da coligação é coordenar os esforços para combater a ameaça que o Estado Islâmico representa”, disse Jen Psaki, acrescentando que os aliados terão papéis diferentes e nem todos oferecerão ao Iraque apoio militar direto. “Há obviamente um leque de capacidades que os diferentes países têm”, afirmou a porta-voz, referindo que a coligação procurará cortar o financiamento, os reforços estrangeiros e o apoio ideológico do Estado Islâmico.

Os Estados Unidos não encaram o Irão como parte da sua coligação contra o Estado Islâmico, apesar do apoio que Teerão já está a fornecer ao Iraque na sua luta contra os radicais sunitas. Kerry deverá deixar Washington na terça-feira e visitará Amã e Jeddah para conversações com os principais aliados árabes, Jordânia e Arábia Saudita. O secretário da Defesa norte-americano, Chuck Hagel esteve hoje na Turquia.