Os juros da dívida de Portugal estavam hoje a subir em todos os prazos, em relação a sexta-feira, no mesmo sentido dos da Irlanda, Itália, Espanha e Grécia.

Cerca das 08h40 de Lisboa, os juros da dívida portuguesa a dez anos estavam a subir para 3,245%, contra 3,235% no encerramento da sessão de sexta-feira e depois de terem descido até aos 3,020% a 27 de agosto, um mínimo de sempre.

No mesmo sentido, no prazo a cinco anos, os juros estavam a subir, para 1,768%, contra 1,737% no final da sessão de sexta-feira e depois de terem descido até ao mínimo de sempre, de 1,584%, a 05 de setembro deste ano.

A dois anos, os juros também estavam a subir, para 0,619%, depois de terem terminado a 0,589% na sexta-feira e de terem atingido o valor mais baixo alguma vez registado, de 0,511%, a 05 de setembro.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A 04 de setembro, o Banco Central Europeu (BCE) reduziu a taxa de juro diretora para 0,05%, um novo mínimo histórico, e anunciou que vai lançar um programa de compra de dívida privada para apoiar o mercado de crédito e dinamizar a economia da zona euro.

O presidente do BCE, Mario Draghi, referiu na altura que o pacote de compra de ativos do banco central europeu inclui também créditos hipotecários em euros emitidos por instituições financeiras da zona euro, mas não precisou o montante deste programa de compra de ativos, que deverá ser lançado a partir de outubro.

“Queremos garantir que estes títulos ABS [asset-backed securities] vão servir para que o crédito chegue à economia real”, afirmou.

Draghi disse também que será difícil chegar a uma inflação próxima dos objetivos do BCE só com base na política monetária.

“É preciso crescimento”, considerou, referindo que “são necessárias medidas orçamentais e sobretudo reformas estruturais”.

A 17 de maio passado, Portugal abandonou oficialmente o resgate sem qualquer programa cautelar.

O programa de ajustamento solicitado por Portugal à ‘troika’ (Comissão Europeia, BCE e Fundo Monetário Internacional), no valor de 78 mil milhões de euros, esteve em vigor cerca de três anos.

Os juros da dívida soberana da Irlanda estavam hoje a descer a dois anos e a subir a cinco e dez anos. Dublin terminou a 15 de dezembro de 2013 o programa de ajustamento solicitado à ‘troika’ em 2010, no valor de 85 mil milhões de euros.

Os juros de Itália estavam a subir em todos os prazos, bem como os de Espanha e os da Grécia a cinco e a dez anos, os únicos prazos disponíveis daquele país.

Juros da dívida soberana em Portugal, Grécia, Irlanda, Itália e Espanha cerca das 08h40:

2 anos… 5 anos… 10 anos

Portugal

15/09….. 0,619……1,768….3,245

12/09….. 0,589……1,737….3,235

Grécia

15/09….. n disp…..4,197….5,688

12/09….. n disp…..4,200….5,702

Irlanda

15/09……0,028……0,578….1,879

12/09……0,029……0,574….1,852

Itália

15/09……0,375……1,149……2,481

12/09……0,369……1,135….2,458

Espanha

15/09……0,376……1,070….2,352

12/09……0,368……1,063….2,346

Fonte: Bloomberg Valores de ‘bid’ (juros exigidos pelos investidores para comprarem dívida) que compara com fecho da última sessão.