Não ter sítio para dormir na cidade que (supostamente) nunca dorme é a realidade de muitos sem-abrigo nova-iorquinos. Joe é um deles, expulso de casa quando a mãe encontrou drogas no quarto, mas está longe de ser apenas mais um. Garante que consegue dormir numa cama em pelo menos quatro noites por semana. Como? Com a velha cantiga do bandido, se tiver sucesso dorme em casa de mulheres e passa a noite com elas. A história de Joe foi trazida a público pelo canal Elite Daily no Youtube.

O dia é igual ao de tantos outros que vivem nas mesmas condições, mendiga, pede, corre atrás de uma moeda, mas é ao cair da noite que aparece o D. Juan. A motivação de Joe não é tanto o prazer de estar com uma mulher, mas o facto de ser a “única oportunidade de dormir de baixo de um teto e tomar um banho”.

A primeira vez que se ouve será complicado não ficar boquiaberto: “Mas como é possível?” Joe responde que o essencial é “não ter aspeto de mendigo”. Embora garanta que o que conta é a atitude, passa uma boa parte do tempo a tratar do cabelo, da cara e obviamente do cheiro. Faz da secção de limpeza e higiene das lojas uma casa de banho particular, com uma infinidade de produtos à disposição. Quando questionado acerca da roupa a resposta é rápida e com a atitude que o faz arranjar quarto: “tenho quatro roupas boas. Nenhuma é má.” Depois é só misturar a pior vodka à venda com uma bebida energética “e tudo é possível”.

Enquanto trilha as ruas da cidade à procura de dinheiro chega a ganhar 150 dólares por dia. Joe percebe que com este dinheiro “se não bebesse” e não se “drogasse era possível arranjar uma casa, mas é impossível ser mendigo e não beber e me drogar”. O mendigo playboy conclui que é um ciclo vicioso de onde é difícil sair.

No final do vídeo o mesmo rapaz que usa as asneiras como pontuação, e usa as mulheres em troca de um sítio para dormir, deixa conselhos a um rapaz na mesma situação: “Não faças nada que não queiras fazer”. Talvez por acreditar no karma e na reciprocidade das ações paga-lhe o jantar e segue o seu caminho, à procura de um novo sítio para dormir.