A taxa de desemprego na Grécia caiu para 26,6% no segundo trimestre, menos 1,2 pontos percentuais do que a verificada no primeiro trimestre (27,8%), segundo dados divulgados esta quinta-feira pela agência de estatística grega (Elstat).

A taxa de desemprego desceu 0,7 pontos percentuais no segundo trimestre em comparação com o período homólogo de 2013 (27,3%).

Apesar desta redução, a Grécia continua a ter a taxa de desemprego mais elevada da zona euro.

Cerca de 74,4% dos desempregados gregos são de longa duração, já que estão sem emprego há mais de 12 meses.

Por géneros, no segundo trimestre, a média de desempregados foi mais elevada entre as mulheres (30,4%) do que entre os homens (23,5%).

Em relação ao desemprego entre jovens, os mais atingidos são os que têm idades entre os 15 e os 24 anos, com uma taxa de 47,1% entre os homens e de 57,5% entre as mulheres.

Segundo nível de estudos, a taxa de desemprego mais elevada é registada entre as pessoas que não completaram os estudos primários (43,3%) e a mais baixa entre as pessoas com estudos superiores (13,4%).

Na Grécia, a taxa de desemprego triplicou desde o início da crise em 2008, quando se situava em 7,5%.