A maior operação policial de cooperação internacional contra o crime organizado chama-se Arquimedes e, entre 15 e 23 de setembro, apreendeu drogas, salvou crianças do tráfico infantil, confiscou dinheiro e até carros de luxo. As operações decorreram em 34 países, entre os quais Portugal, com coordenação da Europol desde Haia, na Holanda.

De acordo com a polícia europeia, a Operação Arquimedes envolveu milhares de polícias. O objetivo é que o impacto da operação seja tão significativo quanto duradouro na interrupção no crime organizado, por “meses ou mesmo anos”, é referido em comunicado.

Das operações resultaram 1027 pessoas detidas, entre as quais 90 por tráfico de pessoas e 170 facilitadores de imigração ilegal. 30 crianças foram salvas de tráfico humano. No combate ao tráfico de droga, foram apreendidos 599 kg de cocaína, 200 kg de heroína, mais de uma tonelada de cannabis. 

“Quisemos atacar as infraestruturas no seu conjunto e não simples casos isolados (…) e acabar com a atividade de alguns dos grupos criminosos europeus mais perigosos, que estavam ativos em numerosos locais na Europa”, disse Rob Wainwright, diretor da Europol.

Para além dos 28 Estados-Membros, também a Colômbia, Austrália, Noruega, Sérvia, Suíça e Estados Unidos estiveram envolvidos nas operações.

Em Portugal, 949 militares da GNR realizaram 433 ações, no fim de semana de 21 e 22 de setembro. Foi detida uma pessoa, encerrados quatro Operadores de Gestão de Resíduos e apreendidos 57 quilos de cobre.