Um porta-voz da TAP garantiu esta sexta-feira que os incidentes que têm ocorrido com aviões da companhia nas últimas semanas “são normais”, garantindo que não existem quaisquer problemas de segurança ou com o serviço de manutenção da empresa.

André Serpa Soares, que falava hoje à agência Lusa depois de mais um incidente com uma aeronave da companhia na quinta-feira, disse que as avarias nos aviões são normais na aviação e acontecem com frequência.

“Todos os dias há avarias em aviões, em todas as companhias e em todos os aeroportos. As avarias são normais na aviação, como também são normais nos carros que conduzimos”, sublinhou.

O jornal Correio da Manhã noticia hoje que um avião da TAP, que fazia ligação Porto-Nova Iorque sofreu um atraso de doze horas devido a uma fuga hidráulica que obrigou à substituição de um tubo.

André Serpa Soares confirmou à Lusa que o aparelho foi reparado, seguiu viagem e que os passageiros chegaram ao destino “sem problemas”.

O mesmo responsável defendeu que os incidentes com aviões da empresa que têm sido noticiados nos últimos dias são produto de uma atenção excessiva da comunicação social.

“O que se passa é um excesso de atenção mediática aos problemas que têm acontecido na TAP”, afirmou André Soares à Lusa, sublinhando que a situação relativa aos problemas técnicos “é a normal”.

De acordo com o responsável, a atenção mediática noticiosa anormal, leva a que haja mais notícias sobre a companhia, criando uma ideia na opinião pública de que existe algo errado, o que não corresponde à verdade.

“Está-se a criar uma imagem de que a TAP é só problemas. É óbvio que temos tido um aumento de reclamações, houve mais do que o normal este verão, mas a TAP já assumiu as irregularidades causadas por exemplo pela situação da compra e entrega de aviões”, contou, sublinhando que a situação está a prejudicar a imagem da transportadora.

Aquele porta-voz da TAP disse ainda que, apesar da “atenção mediática”, a taxa de ocupação dos aviões da TAP “é boa”.

Nas últimas semana, a TAP registou pelo menos quatro incidentes com aviões devido a problemas técnicos.

No início do mês de setembro, um problema no sistema hidráulico de um avião obrigou um voo de Lisboa para Angola a regressar ao aeroporto da Portela uma hora depois de ter descolado, e, dois dias depois, um outro voo que partiu do Brasil com destino a Lisboa aterrou, por precaução, no Sal, em Cabo Verde, devido a um sinal de aviso do sistema indicador de fumos na cabina.

Um outro incidente levou a TAP a cancelar uma ligação Milão/Porto e um voo Porto/Bruxelas foi atrasado por causa de um problema no radar de identificação do avião.

“Aviões são máquinas, e as máquinas, apesar de terem uma manutenção altamente rigorosa e cumprindo todas as regras internacionais e nacionais e indo além dessas regras e também daquelas que são impostas pelo fabricante, têm avarias”, explicou o porta-voz da companhia aérea.

“Isto passa-se com todas as companhias aéreas, em todo o mundo, e existem centenas de casos destes diariamente com todas as companhias. A TAP não é obviamente exceção”, concluiu.