O grupo Anonymous cumpriu as ameaças que fez e publicou, este domingo, dados confidenciais de dois portais oficiais da China, num gesto de apoio aos protestos em Hong Kong, informa esta segunda-feira o South China Morning Post.

O grupo internacional de piratas informáticos tornou públicos centenas de números de telefone e endereços (reais e de IP) da Zona de Comércio Livre de Ningbo, cidade da província oriental chinesa de Zhejiang, e também dados procedentes de um portal de pesquisa de emprego de Changxiang, na mesma província.

Pouco antes da publicação dos dados, o Governo chinês tinha reconhecido que essas páginas estavam a ser alvo de ataques.

Desconhece-se por que razão o Anonymous escolheu como “vítimas” as duas páginas em causa, em teoria pouco relevantes e sem relação com os protestos de Hong Kong, se bem que o grupo assegura que já se infiltrou em mais de meia centena de portais oficiais da China e divulgou 50 mil nomes de utilizadores e os seus e-mail.

Tudo com o intuito de “lutar ao lado dos cidadãos de Hong Kong”.

No passado dia 02, o grupo atacou também várias páginas de Internet da antiga colónia britânica, como represália pelo uso de gás lacrimogéneo pela polícia contra os manifestantes.