Nem concertos, nem touradas. Nos dias 31 de outubro, 1 e 2 de novembro, a arena do Campo Pequeno, em Lisboa, vai acolher dezenas de pequenos produtores de vinho nacional, no regresso do Mercado de Vinhos.

O objetivo é recriar o espírito dos mercados antigos portugueses, onde os vinhos se compravam diretamente aos produtores. Ou seja, os diversos sabores e aromas dos vinhos portugueses, provenientes do Alentejo, Douro, Dão, Tejo, Bairrada, Terras do Sado, Beiras, Trás-os-Montes, Algarve, Açores, Madeira, Porto e Lisboa vão dar-se a conhecer, graças ao contacto direto que o público pode ter com uma centena de produtores e enólogos.

A “Taberna do Mercado” é a novidade desta edição. O espaço vai promover o convívio e a degustação de vinhos e petiscos, inspirados nas antigas tabernas portuguesas. Queijos DOP – Denominação de Origem Protegida, enchidos do Alentejo e Trás-os-Montes, presunto de Barrancos, pão biológico, chocolates, azeites, compotas e chutneys são alguns dos produtos gastronómicos que o Mercado de Vinhos costuma disponibilizar.

Os gelados Santini vão apresentar oito gelados com diferentes sabores de uva, como por exemplo o “Douro” ou o de “Uva Preta” e haverá também bombons artesanais de chocolate feitos por um mestre chocolateiro com recheios de diferentes uvas de regiões como Carcavelos, Moscatel, Vinho Verde entre outras.

Ao Observador, a organização explicou que haverá também momentos de “Fado Vadio”, “Desgarradas” e “Concertinas” a animar o espaço.

O Mercado de Vinhos vai estar aberto entre sexta e domingo, das 11h30 às 21h30. A entrada custa três euros, com oferta de dois euros em vales de compras.