A primeira regra para escolher os melhores fundos é procurar as comissões mais baixas. Mas não é possível reduzir ainda mais os custos, indo além dos fundos tradicionais? Sim, se for à bolsa.

É na bolsa que se encontram os fundos cotados, normalmente conhecidos por trackersexchange-traded funds ou ETF. Regra geral, replicam simples índices de ações ou de obrigações e, por isso, cobram comissões muito baixas.

O maior fundo cotado, o iShares MSCI EAFE ETF, que investe nos mercados desenvolvidos exceto nos EUA e no Canadá, cobra 0,3% por ano aos investidores participantes que adquiriram unidades na bolsa de Nova Iorque. Mas há mais barato: o Schwab US Broad Market ETF cobra 0,04% por ano para investir em mais de duas mil ações norte-americanas.

Investir através de um fundo cotado tem os custos acrescidos do intermediário financeiro, como as comissões de negociação, de guarda de títulos e de distribuição de dividendos. Só é aconselhável para quem tem carteiras mais avultadas, de modo a diluir estes custos adicionais.