A TAP celebra esta terça-feira o 50.º aniversário do primeiro voo regular entre Lisboa e a ilha cabo-verdiana do Sal, mantendo, desde então, ligações aéreas ininterruptas entre Portugal e Cabo Verde.

A efeméride da ligação feita num avião “Superconstelation CS-TLC” é coroada na sexta-feira com uma gala numa unidade hoteleira da capital cabo-verdiana, para o que estão convidadas várias personalidades locais e portuguesas, entre elas o primeiro-ministro de Cabo Verde, José Maria Neves.

“A partir de 04 de novembro de 1964 começámos a operar para Cabo Verde e nunca mais parámos de operar. Hoje, há 15 voos semanais na época baixa e 18 na alta”, disse à agência Lusa o delegado da TAP-Portugal em Cabo Verde, João Inglês, aludindo às ligações semanais com a Praia (sete), Sal (seis), São Vicente (três) e Boavista (duas).

Ao longo dos 50 anos, acrescentou, o maior desafio da companhia tem sido colocar Cabo Verde como um potencial destino gerador de negócios e turismo, desafio ao qual a TAP tem vindo a adaptar-se com resultados “positivos”.

“Em 2013, a TAP traçou como objetivo transportar de e para Cabo Verde 150.000 passageiros. Atingiu 153.000. Procuramos sempre gerar tráfico para o país e fazer com que tenha, através destas operações, uma evolução no desenvolvimento económico e nos investimentos”, acrescentou.

“Ao longo dos 50 anos de operações, a TAP procurou sempre fortalecer uma sólida confiança e uma evolução continua e positiva na cooperação com o próprio mercado. Esta relação tem sido desenvolvida de forma construtiva e eficaz, o que tem vindo a proporcionar uma abertura favorável na aceitação, concretização e satisfação nos vários parceiros de negócios”, sublinhou.

No entanto, o voo inaugural da TAP para Cabo Verde ocorreu três dias antes, a 01 de novembro de 1964, quando o Sal foi incluído como escala na então Linha de Lourenço Marques (atual Maputo) – Lisboa, Sal, Bissau, Luanda, Salisbúria (atual Harare – Zâmbia) e Lourenço Marques.

O voo foi o primeiro regular a operar diretamente para Cabo Verde mas, segundo os dados fornecidos à Lusa pela transportadora aérea portuguesa, constituiu o quarto a “tocar” o Sal.

De 10 a 15 de janeiro de 1945, o Sal foi alvo de um voo experimental, que ligou Lisboa, Casablanca, Cabo Juby (na costa sudoeste de Marrocos) e Port Étienne (atual Nouakchott, Mauritânia), antes de aterrar na ilha cabo-verdiana.

Quatro anos depois, em 1949, a TAP realizou uma viagem num avião “DC4”, pilotado pelo então comandante Enrique Maya, assistido, em parte do voo, por Gago Coutinho, o almirante que fora como convidado especial na deslocação.

Onze anos mais tarde, a 06 de dezembro de 1960, o Sal foi escala do chamado “Voo da Amizade TAP/PANAIR”, que ligou Lisboa ao Recife e ao Rio de Janeiro, no Brasil.

A 13 de setembro de 1967, três anos após o início dos voos regulares, revelam curiosidades da companhia aérea portuguesa, realizou-se o primeiro voo a jato entre os dois destinos, num “Boeing 727”.

Teria então de se esperar quase 40 anos – a 28 de outubro de 2007 – para a TAP ligar diretamente Lisboa à capital de Cabo Verde, após obras de expansão do aeroporto local, até então um aeródromo.

Após obras idênticas, a TAP começou, a 01 de julho de 2011, a operar diretamente para a ilha de São Vicente e, a 29 de outubro de 2013, para a da Boavista.