O padre de Canelas, Gaia, foi afastado pela Diocese do Porto e, em protesto, a população recebe o seu substituto no domingo em silêncio e de roupa preta, avançou hoje à Lusa o responsável pelo movimento “Uma Comunidade Reage!”.

A nomeação do novo sacerdote para a Paróquia de Canelas – Albino Reis – consta da página oficial de internet da Diocese do Porto. O padre Roberto, agora demitido e substituído nas suas funções, recebeu em junho indicações por parte da Diocese do Porto para abandonar a paróquia em setembro, mas após várias ações de protesto da população recuou na sua decisão e só agora decidiu substitui-lo, explicou Miguel Rangel.

No próximo domingo, dia em que se realiza a cerimónia de receção ao novo padre, as pessoas irão concentrar-se frente à Igreja Paroquial de Canelas vestidas de preto e em silêncio, não assistindo à Eucaristia, afirmou. “Não é nada contra o novo padre, mas sim um ato contra a decisão da Diocese do Porto em nos retirar um pároco de quem gostávamos muito e que foi injustamente afastado”, disse.

Miguel Rangel frisou que a diocese continua sem dar uma “explicação lógica” para a saída do padre Roberto. “A população não via o padre como um mero administrador de sacramentos, mas como um amigo”, salientou.

Segundo Miguel Rangel, os motivos para a saída do padre Roberto de Sousa, há oito anos à frente da paróquia, não foram divulgados pelo bispo, mas acredita estarem relacionados com os 15 mil euros gastos na colocação de uma estátua em honra do seu antecessor, entretanto falecido. “O padre não é contra a estátua, mas questionou o custo da mesma, considerando que o dinheiro era mais bem aplicado noutras coisas”, revelou.

Ao longo de meses, o movimento “Uma Comunidade Reage!” organizou um cordão humano, uma vigília, uma marcha silenciosa e recolheu 5.800 assinaturas para um abaixo-assinado que, posteriormente, entregou ao bispo do Porto numa reunião.