A China e os EUA, os dois principais emissores de gases com efeitos de estufa, fixaram hoje em Pequim novas metas com vista à redução das suas emissões de CO2, depois de noves meses de negociações secretas, informou a Casa Branca em comunicado.

A China, primeiro emissor mundial, estabeleceu que as suas emissões de gases com efeitos de estufa atinjam o ponto máximo “por volta de 2030”, tendo apontado a intenção de “tentar atingir o pico mais cedo” do que isso, anunciou a Casa Branca.

É a primeira vez que a China — o maior poluidor mundial — estabelece uma data, ainda que aproximada, para que as suas emissões de CO2 parem de aumentar.

Por sua vez, os EUA comprometeram-se atingir, até 2025, uma redução entre 26 e 28% das suas emissões registadas em 2005.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Cientistas têm alertado para a necessidade de medidas drásticas para combater o aquecimento global. As metas anunciadas hoje antecedem a conferência do clima em Paris, que, em 2015, deverá aprovar, pela primeira vez, um acordo global, vinculativo e suficientemente ambicioso em matéria climática.

Os Presidentes da China e dos Estados Unidos reuniram-se hoje no Grande Palácio do Povo, em Pequim, para uma nova ronda de conversações.

Xi Jinping e o homólogo norte-americano, Barack Obama, tiveram um primeiro encontro informal na terça-feira à noite, apos a Cimeira anual da APEC (Cooperação Económica Ásia-Pacífico), que reuniu na capital chinesa líderes de 21 países e regiões do anel do Pacífico.

O Presidente norte-americano chegou a Pequim na segunda-feira, num périplo de oito dias pela Ásia-Pacífico que inclui a Birmânia e a Austrália.