A Coreia do Sul saudou hoje a aprovação por parte da Assembleia Geral da ONU de uma resolução que apela ao Tribunal Penal Internacional que julgue as autoridades da Coreia do Norte por “crimes contra a humanidade”.

“Apoiamos plenamente a resolução “, afirmou hoje um representante do Ministério da Unificação.

A Coreia do Sul “cooperará ativamente com a comunidade internacional para melhorar a situação dos direitos humanos na Coreia do Norte”, garantiu.

A resolução da ONU foi aprovada na terça-feira com 111 votos a favor, 19 contra e 55 abstenções.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O embaixador da Coreia do Norte junto da ONU, Sin So Ho, declarou que o projeto de resolução proposto pela União Europeia e pelo Japão padecia de “uma falta de confiança, de suspeita e de confrontação que nada têm que ver com os verdadeiros direitos humanos”.

A resolução adota o texto elaborado pela comissão, encarregada de se pronunciar especificamente sobre as violações aos direitos humanos e amplamente assente num relatório de 400 páginas da ONU divulgado em fevereiro, que concluiu, após uma longa investigação, que a Coreia do Norte cometeu violações dos direitos humanos “sem paralelo no mundo contemporâneo”.

Durante um ano, os investigadores recolheram testemunhos de exilados norte-coreanos e documentaram a existência de uma vasta rede de campos de prisioneiros onde se encontravam encarceradas até 120.000 pessoas, bem como casos de tortura, execuções sumárias e violações.

A responsabilidade de todos estes abusos dos direitos humanos encontra-se ao mais alto nível do Estado, segundo a investigação liderada pelo juiz australiano Michael Kirby, que concluiu que estes se assemelham a crimes contra a humanidade.