Os Estados Unidos emitiram hoje um alerta para a generalização do “crime violento” em Caracas que, inclusivamente, levou à implementação de restrições de mobilidade aos funcionários diplomáticos.

“O Departamento de Estado (DE) considera que a ameaça criminosa ao pessoal do Governo dos EUA na Venezuela é o suficientemente grave como para quem vive e trabalha sob rigorosas restrições de segurança”, afirma o alerta divulgado pela embaixada dos EUA em Caracas.

O comunicado, que atualiza um alerta emitido a 04 de junho de 2014, explica que milhares de norte-americanos visitam Caracas todos os anos e que o “crime violento na Venezuela se generalizou tanto na capital como no interior” do país.

“Segundo a organização não-governamental Observatório Venezuelano de Violência, em 2013 ocorreram 24.763 homicídios na Venezuela, acumulando 79 homicídios por cada 100.000 habitantes, uma das taxas mais altas do mundo. Em Caracas a taxa de homicídios é ainda maior, 134 homicídios por cada 100.000 habitantes”, afirma.

O Departamento de Estado alerta ainda que “os sequestros são também uma séria preocupação”, precisando que 625 casos foram denunciados às autoridades em 2013, mas “cerca de 80% dos sequestros não são denunciados”.

“Cada vez mais criminosos comuns estão envolvidos em sequestros e podem lidar com as famílias das vítimas diretamente. Além disso, há violência transfronteiriça, sequestros, tráfico de drogas e contrabando ao longo da fronteira ocidental da Venezuela”, afirma.

O documento sublinha que o pessoal da embaixada em Caracas e seus familiares “são obrigados a recorrer a uma viatura blindada quando viajam de e para o aeroporto” ou para algumas zonas de Caracas e do interior.

Os cidadãos “devem estar atentos ao problema, em todos os momentos e localidades, especialmente ao entrar ou sair de casa, hotéis, carros, garagens, escolas e locais de trabalho” e “sempre que possível devem viajar em grupos”.

“Evitar usar joias, exibir ou transportar grandes somas de dinheiro, cartões de crédito, multibanco, telemóveis ou outros objetos de valor. Evitar andar à noite, ir sozinho à praia, ruínas históricas e veredas”, são também recomendações.

O Departamento de Estado chama ainda a atenção dpara a criminalidade ao longo das estradas do país e que os motoristas devem conduzir sempre com as portas fechadas para dissuadir potenciais assaltos nos semáforos e nas ruas congestionadas das cidades.