O denominado centro de alojamento de transição para a população sem-abrigo da cidade de Lisboa pretende dar a estas pessoas o “direito a ter uma chave de um espaço que é seu e próprio e poderem dormir sem cumprir muitas regras”, disse à agência Lusa a administradora da Ação Social da Santa Casa, Rita Valadas.

O novo espaço destina-se aos que estão sem teto há mais tempo e surge como uma alternativa aos centros de acolhimento temporário, que não agradam a quem vive na rua por terem muitas regras, explicou a responsável pelo projeto. “O nosso objetivo era que ainda durante o inverno pudéssemos ter uma resposta” quanto à data da abertura do centro, afirmou a administradora.

A cooperação entre a autarquia de Lisboa e a Santa Casa passa pela cedência do terreno por parte da Câmara, que se localizará em Santa Apolónia, local onde dormem já vários sem-abrigo.

O centro de acolhimento de transição irá funcionar “numa estrutura tipo contentor para também do ponto de vista visual estar ligado a uma transição”, acrescentou.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O protocolo de cooperação entre a Santa Casa da Misericórdia e o município de Lisboa foi assinado hoje pelo vereador dos Direitos Sociais, João Afonso, e a administradora da Ação Social da Santa Casa, Rita Valadas, nos Paços do Concelho.

Um estudo do “Programa Intergerações – InterSituações de Exclusão e Vulnerabilidade Social”, levado a cabo pela Santa Casa da Misericórdia, em 2013, indica que há mais de 800 sem-abrigo nas ruas de Lisboa, um terço dos quais há menos de um ano e 5% há mais de duas décadas.