A Câmara de Coimbra evoca Miguel Torga este sábado, dia em que se completam 20 anos sobre a morte do médico e escritor, naquela cidade, onde se fixou em 1941 e viveu a maior parte da sua vida.

As iniciativas para assinalar a data da morte de Adolfo Rocha, cuja obra literária assinou sob o pseudónimo de Miguel Torga, decorrem na Casa-Museu Miguel Torga, que foi residência do homenageado durante cerca de quatro décadas, adquirida (em dezembro de 2004) e transformada em espaço museológico pelo município.

Inaugurada em 12 de agosto de 2007, quando se completaram 100 anos sobre o nascimento do poeta, em São Martinho de Anta, no concelho trasmontano de Sabrosa (Vila Real), a Casa-Museu Miguel Torga visa perpetuar a vida e obra do escritor, albergando o espólio doado ao município de Coimbra pela filha, Clara Rocha.

No âmbito da evocação, terão lugar, a partir das 14:30, visitas guiadas à Casa-Museu, nos Olivais, na Alta da cidade.

A programação evocativa inclui a inauguração, às 16:00, da exposição fotográfica e documental “Miguel Torga – Percurso de uma Vida”, na qual se mostram o bilhete de identidade, a caderneta militar, a certidão de casamento, a cédula da Ordem dos Médicos, o diploma de Soldado Enfermeiro, medalhas, prémios e condecorações, atribuídas ao escritor.

Trata-se de uma abordagem fotográfica e documental que assinala o percurso de vida do escritor, desde a adolescência, através de peças de uso quotidiano, como a caneta, o relógio, a boina ou o estetoscópio, como descreveu à Lusa a vereadora da Câmara de Coimbra, responsável pelo pelouro da Cultura, Carina Gomes.

A programação inclui também uma palestra de Carlos Carranca, sobre os “Tempos de aprendizagem na vida e obra de Miguel Torga”, e a apresentação do livro “Dois homens num só rosto – Temas torguianos”, de Maria Hercília Agarez.

A iniciativa encerra com a projeção do filme “Natais de Torga”, produzido pela Bonifrates, Cooperativa de Produções Teatrais e Realizações Culturais, em dezembro de 2011 e de 2012, a convite da Câmara de Coimbra.