Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

É um relatório do Center for American Progress, um grupo de reflexão política próximo de Hillary Clinton. 160 páginas que detalham orientações políticas e económicas e que foi dirigido por Lawrence Summers, secretário do Tesouro dos últimos anos da Administração Clinton. O site Vox apresenta o documento “Report of the Commision on Inclusive Prosperity” como o possível guia económico e político de Hillary Clinton, provável candidata a Presidente dos EUA nas eleições de 2016.

Um jornalista do Vox leu o relatório e chegou a algumas conclusões, celebrando que haja finalmente pistas sobre as opções de uma nova (e hipotética) Governação Clinton. Segundo o site, as orientações preconizadas no documento “contrariam a imagem neoliberal dos Clinton”, uma vez que muitas das medidas reforçam o poder dos sindicatos e deixam adivinhar uma injeção fiscal na economia.

Por outro lado, continua o Vox, o programa parece deixar de lado “as ambições liberais” de Obama, nomeadamente no que diz respeito à reforma educativa e do sistema de saúde e ao combate à pobreza. Em vez da luta contra a pobreza, as políticas propostas parecem querer fortalecer a classe média. Escreve o site: “Após um longo período em que o Partido Democrata foi dominado pela discussão em torno do plano de saúde para os mais pobres e regulação ambiental, o Hillarynomics (programa económico de Hillary Clinton) parece o regresso ao populismo de classe média”. Algumas propostas do relatório:

  • Investimento em obras públicas e infraestruturas;
  • Cortes fiscais para os trabalhadores da classe média;
  • Apelo à criação de conselhos de trabalhadores semelhantes aos existentes na Alemanha;
  • Tratamento fiscal favorável para empresas detidas por trabalhadores;
  • Alívio fiscal para os criadores de empresas que – depois da reforma ou em caso de morte –  passem a gestão destas aos trabalhadores;

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR