Presidenciais 2016

Leonor Beleza descarta possibilidade de se candidatar a Belém

Numa entrevista em que elogia as características profissionais e o desempenho de Cavaco Silva, Leonor Beleza diz que veria "com bons olhos" uma mulher na Presidência da República - mas não será ela.

Leonor Beleza não quer falar sobre potenciais candidatos a Presidente da República

ANDRE KOSTERS/LUSA

Leonor Beleza, antiga ministra da Saúde e atual presidente da Fundação Champalimaud, disse à Agência Lusa que vê “com bons olhos” uma mulher a desempenhar as funções de Presidente da República, mas não pretende envolver-se na corrida a Belém.

“Eu vejo sempre com bons olhos mulheres em todos os cargos que são politicamente relevantes ou relevantes de outro ponto de vista. As questões relacionadas com o estatuto das mulheres são, para mim, questões de uma vida inteira”, referiu. “Portanto, sim, veria (com bons olhos) aí (Presidência da República) e em muitos outros sítios. Isso não é, com certeza, um problema no qual eu me vá envolver diretamente.”

Entrevistada pela Lusa sobre o desempenho do Presidente da República, Leonor Beleza, membro do Conselho de Estado e ex-ministra da Saúde dos governos de Cavaco Silva, destacou “a independência”, o domínio dos vários assuntos, “o conhecimento profundo dos dossiês” e “a cultura de compromisso” de Cavaco Silva, não escondendo o “respeito e admiração” que tem por ele.

“Representa todos os portugueses. É um Presidente cujo partido é o nosso país, os portugueses, Portugal. Não atua por dependência de qualquer força política. Não se deixa influenciar por aquilo que as pessoas gritam mais alto ou é moda. Atua, muitas vezes, com uma grande discrição, justamente em nome do interesse nacional, de certa maneira, até subvalorizando a visibilidade da sua atuação.”

Sobre os nomes que se vão perfilando como potenciais candidatos a Presidente, especialmente na sua área política – Marcelo Rebelo de Sousa, Rui Rio ou Santana Lopes, entre outros -, a jurista de formação recusou pronunciar-se. “Essas movimentações não têm a ver com o mandato de Cavaco Silva, que merece ficar na nossa memória, quando terminar o seu mandato, como um grande Presidente da República”, concluiu.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: vnovais@observador.pt
PSD

São brancos, que se entendam /premium

Paulo Tunhas

Ninguém percebe qual é a partitura do PSD e qual a sinfonia que Rio ou Montenegro vão tocar, algo imprescindível para uma pessoa decidir se vai ou não ao concerto. Pode ser tudo e mais alguma coisa.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)