“Goodbye my love goodbye
goodbye and au revoir
as long as you remember me
I’ll never be too far”

O cantor Demis Roussos, um dos gregos mais conhecidos no mundo, morreu, na manhã do domingo passado, num hospital em Atenas, aos 68 anos. A notícia foi avançada ao jornal francês Le Figaro pela filha do cantor. As causas da morte “da voz da melancolia grega” ainda não são conhecidas.

Filho de pais expatriados no Egito, Demis vai viver para a Grécia aos 15 anos, após a família ter perdido tudo durante a Crise do Canal do Suez. Fundou a sua primeira banda aos 17 anos, os “The Idols”, quando era responsável por sustentar a família.

Em 1973, Roussos era uma estrela do pop na Europa, lembra o El Mundo. Não muito apreciado no mundo intelectual, mas adorado pela “esquerda kitch”, Demis alcançou o sucesso devido a temas icónicos como “Goodbye my love, Goodbye” ou “Lovaly lady of Arcadia”.

Tornou-se popular nos anos 1970 como membro do grupo Aphrodite’s Child, tendo depois iniciado uma carreira a solo, a partir da década de oitenta. Vendeu mais de 60 milhões de discos em todo o mundo.

“Já vendi milhões desta porcaria. Não me arrependo de nada. Sempre soube adaptar-me, fazendo de forma a que a tua mãe adore mesmo quando lhe junto sons rock”, afirmou à Paris Match, no ano da celebração dos seus 40 anos de carreira (2009).